Por Fora
das Pistas

Hall da Fama

Yuri Mansur; foto: Studyforlife

7 de abril de 2015

Conversa com o cavaleiro Yuri Mansur Guerios

Depois de alguns meses sem notícias do cavaleiro brasileiro Yuri Mansur nos concursos nacionais; encontramos com ele durante os feriados de Páscoa aqui no Brasil e, batemos um papo para saber da vida esportiva desse cavaleiro que traz em sua bagagem profissional, inúmeros títulos, além de várias representatividades pela bandeira verde e amarela, tanto no país, como no circuito mundial de hipismo.

O brasileiro Yuri Mansur

O brasileiro Yuri Mansur

1- Yuri Mansur há quanto tempo está morando na Europa?

R- Na verdade desde o início do ano passado, mas naquele momento ainda não tinha certeza que isso se prolongaria ou não.

2- Em que pais você mora? E você conta com uma infraestrutura própria para seus treinos?

R- Eu e minha família moramos na Bélgica. Contamos com um Manège simples, mas muito funcional: pista de areia coberta, pista de grama, piquetes e 16 cocheiras, muito próximo de Opglabek.

3- Depois do Mundial você ficou morando na Europa?
R- O ano de 2014 foi um ano muito duro para mim, uma mistura de muita realização e muita dificuldade ao mesmo tempo. Isso no final das contas só me fez melhorar e ficar ainda mais forte, como homem, cavaleiro e empresário. Com tudo isso conseguiu um enorme crescimento, atingindo o território internacional e voltando a ser muito forte aqui no Brasil.

Quem está administrando atualmente o QH?
Hoje nossa equipe, a família QH esta de volta, Maria Sales, Rafael Leite, Zé Ronaldo e Manel, voltaram, e junto dos que já estão há muitos anos e, somada a chegada da Paula Alho nossa administradora e vendedora, o QH mais uma vez vai fazer a diferença no contexto hípico.

4- Você tem participado das principais competições do circuito europeu?

R- Sim, mesmo no final do ano passado onde meu foco estava em conhecer o meu cavalo Cornetto e reorganizar minha vida, participei de bons concursos Indoor de 3 e 4 estrelas, e esse ano foi ao Sunshine Tour.

5- Você tem participando nos eventos com outros brasileiros na Europa?

R- ‘No Sunshine esse ano estive com a Karina Johannpeter e com o Pedro Veniss e foi muito bacana, porque se não me engano, não houve um GP onde não tivemos pelo menos uma representatividade brasileira entre os 16 primeiros.

6- Hoje em dia quais sãos os seus principais animais para provas fortes?

R- Sem duvida nenhuma meu principal cavalo é o Cornetto, mas o Amor, Larkin e o recém chegado; Cornet Drim formam um excelente time.

7- Quais são os seus planos para esse ano?

R-  Evoluir. Tenho uma série de quatro e cinco estrelas para saltar, quero repetir o que vinha fazendo aqui ano passado que já foi um bom começo.

8- Além dos cavalos de prova que tem participado está fazendo novos cavalos na Europa?

R- Arcanto e Cula Lou em breve serão cavalos de ponta.

9- Pretende voltar para o Brasil?

R-‘ Sim. Quero participar de alguns concursos e gerenciar meu negócio aqui no Brasil. Acredito que cada dois meses eu  volte.

10- Como é a vida de um profissional de hipismo na Europa?

R- Sigo dividindo meu tempo entre montar e comercializar, mas na Europa monto muito mais que aqui no Brasil.

 

  • Compartilhe
  • <