Por Fora
das Pistas

Notícias

Agentes de saúde fiscalizam bairros de Jundiaí (Foto: Reprodução/TV TEM)

19 de outubro de 2016

Vítimas de febre maculosa morreram após contato com cavalos, diz Saúde

Os agentes de saúde de Jundiaí (SP) estão mobilizados para fazer o controle e eliminar os carrapatos após a confirmação de três mortes por febre maculosa. A doença é transmitida pelo carrapato estrela e as vítimas foram infectadas depois de estarem em contato com cavalos que estavam em cocheiras.

Apesar da Secretaria de Saúde descartar uma epidemia da doença, os moradores dos bairros Vila Maringá e Terra Nova, onde os casos foram diagnosticados, estão preocupados. A Secretaria de Saúde de Jundiaí confirmou a morte de dois adolescentes e uma criança, todos moradores dos dois bairros.

O número de mortes subiu de um ano para outro. Em 2015, uma morte foi confirmada pela maculosa. Os moradores do bairro Jardim da Serra também estão preocupados, já que uma mata fechada e uma nascente que ficam na região acabam atraindo muitas capivaras, um dos principais hospedeiros do carrapato.

Sem riscos
Apesar da preocupação, o secretário de Saúde de Jundiaí afirma que esses casos deixam a cidade longe de uma epidemia. Luis Carlos Casarini afirma que uma pesquisa recente da Faculdade de Medicina e Veterinária da USP mostra que em Jundiaí, 99% dos carrapatos não estão contaminados com a bactéria que causa a febre maculosa.

A febre maculosa  se manifesta repentinamente acompanhada de vários sintomas, como febre alta, dor de cabeça, dores no corpo, náuseas e vômitos. Ela tem um ciclo de incubação que dura de cinco a dez dias, até se manifestar. Um dos maiores problemas apontados pelos médicos é o fato de que os sintomas se parecem com os de outras doenças, como a dengue. A demora no diagnóstico pode levar à morte.

No entanto, funcionários de diversas secretarias municipais estão trabalhando em vários pontos da cidade, principalmente nos locais onde foram registradas as mortes. “Nós fomos a essas regiões e começamos o monitoramento. Fizemos o controle químico imediato a partir da identificação da presença dos carrapatos nessa região. O controle foi feito através da aplicação de veneno e erradicamos os carrapatos ali presentes”, explica.

Fonte: Do G1 Sorocaba e Jundiaí

  • Compartilhe
  • <