Por Fora
das Pistas

Notícias

Figura 1 – Esquema para a extração de tecido adiposo para retirada de CT. Foto: Adaptado de Medrego

30 de abril de 2018

Uso de Células-Tronco em Equinos Atletas

Nos últimos anos as pesquisas com células-tronco se tornaram cada vez mais recorrentes, na medicina humana esse tipo de terapia celular já é utilizada há 50 anos. Porém na medicina veterinária a pesquisa é bem mais recente. O que mais chama a atenção dos pesquisadores é a capacidade de renovação celular podendo gerar diferentes tipos celulares e tecidos.

Lesões em tecidos músculos-esqueléticos são comuns em equinos atletas resultando na redução da vida atlética do equino ou a tratamentos, são lesões que requerem muito tempo para a remissão dos sinais clínicos exige um longo período de repouso e muitas vezes ocorrendo recidivas.

Este fato ocorre devido à estrutura do tendão, a qual possui mínima vascularização, células com atividade mitótica reduzida e presença de poucas células progenitoras; resultando em um processo de cicatrização lento, que na maioria dos casos, leva a formação de uma matriz extracelular de qualidade biomecânica inferior (Carvalho et al, 2011).

Os locais onde é mais comum essas patologias é: o tendão flexor digital profundo (TFDP), tendão flexor digital superficial (TFDS) e aparato suspensor. Ocorre ruptura total ou parcial dessas fibras tendíneas e o tecido cicatricial ocorre variação na resistência e força e com função reduzida e predispondo a novas lesões (Alves et al., 2001).

A ultrassonografia consegue delimitar a área afetada e realizar o acompanhamento da melhora do paciente.

Células-tronco (CT) são utilizadas na medicina esportiva para tratamento de lesões em tecidos moles como tendões e ligamentos (tendinites e desmites). Tem sido usado devido a rapidez que o tratamento pode ocasionar levando o animal ao retorno das pistas.

Estas células podem ser encontradas no embrião, cordão umbilical, placenta e indivíduo adulto.sso marrom;tecido adiposo;cordão umbilical;outras opções com diferentes benefícios.

Existem técnicas para a retirada dessas células da medula óssea através da punção do esterno. Também pode ser retirado tecido adiposo do animal e encaminhado para o laboratório para a extração da fração vascular estromal (FVE) que é onde se encontram as CT.

Durante o procedimento é imperativo a utilização de técnica estéril para evitar a introdução de contaminação. O uso de CT em equinos atletas é utilizada principalmente para injúrias ortopédicas, sua habilidade em se transformar em diferentes células reparando tecidos lesados e com capacidade similar ao original. No cavalo de esporte vem trazendo resultados promissores e fazendo com que o atleta retorne para as pistas mais rapidamente.

Fonte: Informativo equestre

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.