Por Fora
das Pistas

Notícias

Tudo pronto para a 1ª de quatro qualificativas pan-americanas de Adestramento

15 de março de 2019

Tudo pronto para a 1ª de quatro qualificativas pan-americanas de Adestramento

O primeiro semestre será movimentado para o adestramento brasileiro com quatro Concursos de Adestramento Internacionais, qualificativos para os Jogos Pan-americanos 2019, entre 26/7 e 11/8, em Lima no Peru.

O primeiro concurso Internacional e Nacional acontece nesse final de semana, em 16 e 17/3, na Sociedade Hípica Paulista, principal polo da modalidade no país e que também recebe outros três concursos nos mesmos moldes: de 26 a 28/4, 24 a 26/5 e 21 a 23/6.

Nesse primeiro Internacional entram no picadeiro de olho em uma vaga no Pan (ordem alfabética): João Victor Oliva / Biso das Lezirias, Luiza Tavares de Almeida Baluarte do Vouga, Mauro Pereira da Silva / Don Enrico AMM, Micheline Schulze / Matisse, Paulo Cesar dos Santos / Espartano LS, Teresa Almeida / Xaparro do Vouga, Victor Trielli Avila / Corsario IGS e Bruno Belissimo, Yara do Amaral Fernandes / Dileto HI todos competindo na Small Tour e na Big Tour, Leandro Aparecido da Silva / Dicaprio, Micheline Ivette Schulze / Bretina Comando SN e Pedro Tavares de Almeida / Aoleo.

A equipe brasileira no Pan contará com quatro conjuntos e deve ter no mínimo um conjunto de nível Big Tour (Grand Prix) e as outras três vagas podem ser preenchidas por conjuntos nível Small Tour (St Georges e Intermediate I). João Paulo dos Santos com Carthago Comando SN, melhor resultado do Time Brasil, medalha de ouro em novembro de 2018 na Argentina conquistando a vaga no Pan 2019, já está pré-qualificado para a competição, mas deve se apresentar nas qualificativas para avaliação de sua forma perto da data dos Jogos.

Formam o juri no primeiro Internacional e Nacional de Adestramento os juizes 4* Claudia Moreira de Mesquita, Brasil, Sandra Smith de Oliveira Martins, Argentina, Max Pirano Lyon, Chile, ao lado do juiz olímpico 5* alemão Peter Holler e Rui Cesar Mello que integra o juri na série Nacional. Na qualificativa do Pan, o índice desejado pela comissão técnica a ser atingido pelos conjuntos é de 69% para Small Tour (reprises São Jorge e Intermediate I) indistintamente e 68% para Big Tour (reprise Grand Prix).

No segundo Internacional e Nacional, entre 19 e 21/4, o holandês Eduard de Wolff van Westerrode é o juiz nível 5*, ao lado dos juízes 4* Claudia Moreira de Mesquita, Brasil, Cesar Lopardo Grana, Argentina e Sandra Smith de Oliveira Martins, Argentina.

Jogos Pan-americanos com vagas olímpicas em jogo
Em 2019, os Jogos Pan-americanos chegam a sua 27ª edição. Esse ano disputa acontece em Lima no Peru, entre 26 de julho e 11 de agosto. Em todas as três modalidades do hipismo no Pan 2019, os Times Brasil de Adestramento, Salto e Concurso Completo também buscam a qualificação olímpica. No Adestramento habilitam-se para Toquio 2020 os dois países melhores colocados, ou seja, a equipe qualifica o país para os Jogos. Vale lembrar que, pela primeira vez no hipismo em Jogos Olímpicos, as equipes serão formadas por apenas três integrantes (antes eram quatro).

Os seis melhores nos Jogos Equestres Mundiais 2018 já garantiram vaga olímpica, entre os quais, um país candidato a medalha no Pan 2019: os EUA, prata. Dessa forma caso a equipe norte-americana seja ouro ou prata em Lima 2019 abre-se mais uma vaga. Para o Brasil que em novembro de 2018 garantiu sua vaga no Pan 2019 com a medalha de ouro em Internacional na Argentina, sem dúvida, a qualificação olímpica é o grande desafio, além, é claro, de medalhas individuais.

Histórico do adestramento brasileiro em Pan-americanos
O adestramento brasileiro detém até hoje quatro medalhas de bronze por equipes em Jogos Pan-americanos: no México 1975, Caracas 1983, Rio de Janeiro 2007 e Toronto 2015, além de um bronze individual conquistado por Orlando Facada montando Premiado em Caracas.

1975 – Cidade do México – México
Conquista do primeiro bronze por equipe formada por Ingrid Borghoff Troyko, Diana Osward e o Cel. Gerson Borges.

1983 – Caracas – Venezuela

Na bagagem, o Brasil traz duas medalhas de bronze: no individual com Orlando Facada/Premiado, e por equipe com o time formado por Orlando Facada/Premiado, Ileana (Lica) dos Santos Diniz/Ducat e José Scheleder/Jerez.

2007 – Rio de Janeiro – Brasil
Em casa e com muita torcida, a equipe conquista o terceiro bronze em Jogos Pan-americanos. O Time Brasil foi formado por Rogério Silva Clementino com Nilo VO, Luiza Tavares de Almeida apresentando Samba, e Renata Costa Rabello com Monty. Curiosamente, Rogério e Luiza foram integrados à equipe uma semana antes da competição, com a saída de Jorge Ferreira da Rocha, com problemas de saúde e que formava conjunto com Levello e da lesão de Nirvana Interagro, montaria da amazona Pia Aragão.

2011 – Guadalajara – Mexico
Em 2011, o desafio foram os Jogos Panamericanos de Guadalajara, no México. Mais uma vez o time foi por Luiza Tavares de Almeida montando Pastor, Rogério Silva Clementino com Sargento do Top, Mauro Pereira Junior com Tulum Comando SN e, na reserva, Manuel Tavares de Almeida Neto com Viheste. O time ficou em 5º lugar.

Já na disputa individual, Roger montando Sargento e Mauro com Tulum se habilitaram ao Freestyle, posicionando-se entre os 15 melhores dentre os 50 conjuntos inscritos. Momento histórico para o Adestramento brasileiro que há 28 anos não participava da final individual. Mauro Jr garantiu o 9º lugar e Rogério a 12ª colocação.

2015 – Toronto – Canadá

O Time Brasil conquista a quarta medalha de bronze por equipe na histórica dos Jogos com time formado por João Paulo dos Santos com Veleiro do Topm João Victor Marcari Oliva montando Xamã dos Pinhais, Leandro Aparecido da Silva apresentando Di Caprio e Sarah Waddell com Quixote Donelly. O reserva foi Pedro Tavares de Almeida com Baluarte do Mito.

Dos 43 conjuntos do Adestramento, 21, representando 11 países, se habilitaram para a disputa do pódio individual. O Time Brasil foi representado por Leandro com Dicaprio que registrou 73.300% e conquistou o 6º lugar. João montando Xamã dos Pinhais computou 73,275% e garantiu a 7ª colocação, e João Paulo dos Santos montando Veleiro do Top registrou 72.950%, terminando em 9º lugar. Sarah com Quixote Donelly não se habilitou para a final individual.

Fonte: CBH

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.