Por Fora
das Pistas

Notícias

Foto: GCT

22 de dezembro de 2017

Tribunal belga faz um veredicto do Global Champions Tour

A Comissão de Autoridade belga da Concorrência (ABC) impôs medidas provisórias em 20 de dezembro de 2017 para os organizadores da Global Champions Tour (GCT), da Global Champions League (GCL) e da Federação Equestre Internacional (GCL) ( FEI), que visa garantir que, até o fechamento do caso, pelo menos 60% dos convites para participação nos concursos GCT sejam enviados aos cavaleiros com base em sua classificação no ranking oficial da FEI, e não, como atualmente dependente de fazer parte de uma equipe GCL paga.

Um cavaleiro e sua equipe apresentaram uma queixa e um pedido de medidas provisórias relativas a um Memorando de Entendimento (MoU) entre a FEI, GCT e GCL que limita a porcentagem de convites a serem enviados exclusivamente para competições de GCT com base em sua classificação de 60% a 30%.
Eles consideram que essa diminuição é ilegal para os atletas que não fazem parte de uma equipe GCL paga. O Colégio considerou, à primeira vista, que não é razoável pensar que tal redução poderia constituir uma violação das regras da concorrência.

Esta decisão diz apenas respeito à tomada de medidas provisórias e não prejudica a decisão que pode ser tomada após o encerramento da investigação de uma possível ofensiva.

A Autoridade Belga da Concorrência (ABC) é uma autoridade administrativa independente que contribui para a definição e implementação de uma política de concorrência na Bélgica.

Especificamente, o CBA persegue práticas anticompetitivas, como cartéis e abuso de posição dominante, e controla as principais operações de concentração e fusão. A CBA coopera com as autoridades de concorrência dos Estados-Membros da União Europeia e da Comissão Europeia na Rede Europeia da Concorrência (ECN).

Fonte: cavalier-romand

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.