Por Fora
das Pistas

Acontece

foto: divulgação Rio16

21 de abril de 2016

Tradição e brasilidade: acendimento da tocha Rio 2016 promete surpresas na Grécia

A 106 dias dos Jogos Olímpicos Rio 2016, uma importante cerimônia acontece nesta quinta-feira (21): o acendimento da chama Olímpica. E como segue a tradição, o evento será na Grécia, mais precisamente no Templo de Hera, em Olímpia, às 12h (no horário grego, às 6h no Brasil).

“Vai ser um momento emocionante de encontro de culturas, entre a cultura grega e a brasileira. O Brasil levará de presente aos deuses gregos um pouco do sabor musical dos nossos reisados”

Por que o evento é tão importante?

Ele marca oficialmente o revezamento da tocha Olímpica, que percorre todos os estados do Brasil por 90 dias, até o acendimento da pira Olímpica na cerimônia de abertura dos Jogos Rio 2016, dia 5 de agosto no Maracanã.

O símbolo segue aceso…

O evento promove uma conexão entre os Jogos da Antiguidade, nascidos em Olímpia 776 a.C., e os Jogos da Modernidade, que nesta edição acontecem na cidade do Rio de Janeiro. Na Grécia Antiga, a chama percorria as cidades gregas anunciando uma trégua nas guerras para reunião de todos nas competições de Olímpia. Na Era Moderna, a chama Olímpica representa o espírito de paz, união e amizade.

Os gregos da Antiguidade consideravam o fogo um elemento divino. A chama que ficava exposta na entrada dos principais templos, como o de Olímpia, que era a sede dos Jogos Olímpicos daquela época, era acesa através de raios de sol com o uso da “skaphia”, um espelho côncavo. O objetivo desse ritual era assegurar a pureza do fogo que queimaria permanentemente nos altares dos deuses Zeus, Héstia e Hera.

O Revezamento da Tocha Olímpica é um retrato das cerimônias que um dia fizeram parte dos Jogos da Antiguidade de Olímpia. A cidade, aliás, e a maneira rústica como a chama é acesa reforçam a conexão entre os Jogos da Antiguidade e os da Modernidade.

Uma tradição nos Jogos da Antiguidade que vale ser lembrada era a dos mensageiros que percorriam todas as cidades da Grécia Antiga para anunciar a data das competições. Neste tempo, todas as guerras em curso deveriam ser interrompidas para que atletas e espectadores pudessem participar.

Como é a cerimônia?

O ginasta grego Eleftherios Petrounias, principal rival de Zanetti nas argolas, foi escolhido como o primeiro condutor da tocha Rio 2016. Ele pega acesa a chama, gerada pela luz do sol refletida em um espelho nas mãos da atriz Katerina Lehou. Ela chega vestida como uma sacerdotisa, com traje desenhado pelo estilista grego Eleni Kyriacou, pupilo de Alexander McQueen. Petrounias é o primeiro a correr com a tocha, passando-a para o ex-atleta de voleibol e medalhista Olímpico brasileiro Giovane Gávio.

Mas vai ter brasilidade nesse evento?

Giovane Gávio, que atua como gerente de voleibol do Comitê Rio 2016, será o primeiro brasileiro a conduzir a tocha Olímpica nesta edição dos Jogos. É segunda vez que o ex-jogador participa de um revezamento. Ele foi um dos condutores, no Brasil, da tocha dos Jogos Atenas 2004, que percorreu vários países. Só que deste vez foi escalado para o Olimpo:

“Estar no degrau mais alto do pódio, com a medalha de ouro Olímpica, é realização pura. Conduzir a tocha na Grécia vai me fazer viver de novo essa sensação”

“Não vou correr. Vou fazer os 250 metros que cabe a cada condutor bem devagar. Não quero que esse momento mágico acabe rápido”, avisa.

 Os 80 anos da Tocha:

O Revezamento da Tocha Olímpica da Modernidade aconteceu pela primeira vez em 1936, em Berlim, completando 80 anos nesta edição. Na edição Londres 1948, era feita uma disputa em forma de corrida em Atenas; o primeiro a chegar recebia a honra de acender o fogo.

E o cronograma?

Na quinta-feira (21), acontece o acendimento da tocha no Templo de Hera, em Olímpia. No mesmo dia, começa o revezamento pela Grécia, incluindo a icônica cidade de Maratona (Marathonas), em um percurso de mais de 2 mil quilômetros. A chegada a Atenas acontece na quarta-feira (27), no Estádio Panathinaiko, dos históricos Jogos Atenas 1896. Nesse dia, acontece o encerramento do tour grego da tocha, com show do pop star grego Sakis Rouvas. Dois dias depois, o destino é Genebra, na Suíça, para uma cerimônia na Organização das Nações Unidas (ONU). No domingo (30), a tocha é levada o Museu Olímpico, em Lausanne, onde fica a sede do Comitê Olímpico Internacional (COI).
Tem um refugiado entre os condutores

No total, são 450 condutores da tocha Olímpica na Grécia, incluindo um refugiado sírio, cujo nome ainda não foi revelado. Ele carrega a tocha na zona onde há mais refugiados e migrantes, chamada de Eleonas, a oeste de Atenas.

 A chegada ao Brasil

A tocha Olímpica Rio 2016 desembarca em Brasília no dia 3 de maio. O revezamento de 12 mil condutores percorre as cinco regiões do país. Divida em placas ou segmentos que se abrem, o desenho da tocha Rio 2016 é inspirado da geografia do Rio de Janeiro. No fim do ano passado, foi apontada pela revista americana Wired na lista nos 20 objetos mais inteligentes lançados em 2015.

  • Compartilhe
  • <