Por Fora
das Pistas

Notícias

28 de novembro de 2015

Os benefícios da terapia com cavalos

A equoterapia, método terapêutico que se utiliza do contato com o cavalo, é normalmente vinculada ao trabalho que se faz com pessoas portadoras de algum tipo de paralisia ou doença cerebral – como lesão medular traumatismo crânio-encefálico e hidrocefalia. “Os movimentos do cavalo ao andar são 95% semelhantes ao do ser humano. Quando o praticante está montado no animal, ocorrem oscilações em seu quadril que percorrem a coluna e medula espinhal, chegando até o sistema nervoso central.

Ocorrem de 1800 a 2200 estímulos cerebrais. Como a atividade exige a participação do corpo inteiro, ganhasse equilíbrio, postura correta, coordenação motora e outros benefícios”, explica a equoterapeuta e fisioterapeuta Letícia Junqueira (na foto com um dos praticantes), que desenvolve essa prática no Jockey Club de São Paulo. Para disseminar os bons frutos da modalidade, ela formou uma parceria com Ruth Villela de Andrade, o projeto Mangalarga do Bem pela Equoterapia. “Temos o objetivo de angariar fundos para os centros de equoterapia de todo o Brasil a fi m de ajudar as pessoas que não podem pagar pelas aulas”, diz Ruth. Mentora do projeto, ela conta que a interação com o animal a ajudou a se curar de uma síndrome do pânico.

E por isso quer levar o mesmo bem às outras pessoas. Os benefícios dessa terapia no aspecto psicológico – contra a depressão, falta de autoestima, os medos, os distúrbios do sono… – são pouco difundidos. “Durante o exercício, o corpo libera hormônios que causam a sensação de bem-estar, amor e felicidade, como a betaendorfina, a occitocina e a serotonina, respectivamente”, explica Letícia. “Além disso, quando alguém sobe em um animal de grande porte consegue enxergar a vida de outro prisma. Para um cadeirante, acostumado a ver a vida de baixo para cima, é uma grande diferença”, destaca.

Fonte: Bons Fluídos

  • Compartilhe
  • <