Por Fora
das Pistas

Notícias

Leandro Silva com Di Caprio; Foto: João Markun / cedida

17 de março de 2016

SHP recebe observatória olímpica de Adestramento

Esse final de semana, entre 18 e 20/3, a Sociedade Hípica Paulista recebe a primeira de três observatórias olímpicas em solo brasileiro visando a formação da equipe brasileira de Adestramento rumo aos Jogos Olímpicos Rio 2016 paralelamente com um Concurso Nacional da modalidade. A segunda observatória acontece entre 13 e 15/5 e última volta a agitar a Hípica Paulista, entre 3 e 5/6.

Nas três ocasiões, a belga Mariette Whitages, treinadora da equipe brasileira de Adestramento, vai observar o grupo e ministrar clínicas. Whitages também está acompanhado os cavaleiros e amazonas, candidatos a uma vaga no Time Brasil, no Exterior.

Esse final de semana na Hípica Paulista, o julgamento do Internacional e Nacional está a cargo dos juízes Katrina Wüst da Alemanha e Ghislain Fouarge da França, ambos juízes de nível olímpico 5*, ao lado da peruana Marian Cunningham, do chileno Max Piraino, da brasileira Claudia Moreira Mesquita e Sandra Smith de Oliveira Martins, da Argentina.

“Nesta primeira observatória aqui no Brasil teremos sete conjuntos disputando o Big Tour (nível olímpico) e nos próximos dois eventos esse número deve aumentar. Na Europa temos outros cavaleiros e amazonas alguns com mais de um cavalo e também nos Estados Unidos”, comenta Sandra Smith de Oliveira Martins, também diretora da Adestramento da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH).

A disputa pela vaga no Time Brasil de Adestramento na primeira Olimpíada da América do Sul está acirrada. Entre os interessados em atividade no país estão o cavaleiro olímpico Leandro Silva, Sarah Waddell e João Paulo dos Santos, integrantes do Time Brasil medalha de bronze no Pan 2015, o cavaleiro olímpico Jorge Ferreira da Rocha, Edneu Senhorini e os jovens talentos Giovanna Pass e Gabriela Fischer.

Já entre os nomes cotados no Exterior estão João Victor Oliva, campeão sul-americano 2014 e medalha de bronze por equipe no Pan 2015, os quatro irmãos Tavares de Almeida – Luiza, amazona olímpica e medalha de bronze por equipes no Pan Rio 2007, Pedro, Manuel e Thaissa, Rogério Clementino e Renata Rabelo Costa, ambos medalha de bronze por equipes no Pan Rio 2007, a experiente amazona Pia Aragão e Samira Uemura.

“É muito bom ver vários cavaleiros buscando a classificação olímpica e isso mostra um crescimento da modalidade e muita dedicação dos cavaleiros. A preparação no exterior é muito boa bem como as observatórias aqui no Brasil, pois a vinda dos melhores juízes atuantes na atualidade ao nosso país sempre deixa bons frutos, tanto para os cavaleiros através dos comentários das provas, bem como aos juízes nacionais e treinadores. Essas provas e intercâmbio com esses juízes são de suma importância para o desenvolvimento da modalidade”, ressalta Sandra.

Fonte: SHP

  • Compartilhe
  • <