Por Fora
das Pistas

Notícias

Doda Miranda e a filha, Viviane / (Emerson Emerim)

24 de abril de 2019

Segunda Etapa do XTC começa em Curitiba com a presença de Doda Miranda

Medalhista de bronze por equipe em Atlanta (1996) e Sidney (2000) e campeão pan-americano, por equipe, em Winnipeg (1999), Doda vai atuar pela primeira vez no inédito campeonato por equipes que ele mesmo criou. Mas o concurso mais badalado desta temporada de hipismo, o LXTC, tem como favorita a Opus, uma equipe bem “família”, por ter entre seus participantes, dois primos e duas irmãs.

Depois da emocionante estreia na Sociedade Hípica Paulista, em São Paulo, no início deste mês, o Longines Xtreme Teams’ Challenge — primeiro campeonato por equipes formadas entre diversas categorias do hipismo nacional – segue para Curitiba, na Sociedade Hípica Paranaense, onde será realizada a sua segunda etapa, que começa a partir das 10 horas da manhã desta sexta-feira (26/04) e termina às 17 horas de sábado.

O evento faz parte do Concurso de Salto Nacional Cidade de Curitiba, com provas desde às 9 horas da manhã desta quinta-feira (25/04) até às 14h30 de domingo (28/04), quando será disputado o Grande Prêmio Clássico, com obstáculos de 1,45 metro de altura.

Criador e principal organizador do inédito campeonato Longines XTC no País, o cavaleiro olímpico Doda Miranda será uma das principais atrações na capital paranaense, já que optou por não participar da etapa inicial em São Paulo, onde a sua equipe, a Imperium, não conseguiu passar para a final realizada entre as oito melhores das 13 que competiram nas qualificatórias.

Apesar da estreia no campeonato, o medalhista olímpico Doda, com 46 anos, ainda não vai poder competir oficialmente pela primeira vez com a sua filha Vivi Miranda, de 19 anos, que também é uma das representantes da equipe Imperium na competição.

“O Longines XTC tem como meta principal passar a experiência dos principais cavaleiros do País para os mais jovens de diversas categorias, como agora está acontecendo comigo diretamente com a minha filha. Representante da categoria Jovens Cavaleiros, a Vivi participou muito bem da Qualificatória 1, de 1,20 metro, na Hípica Paulista, onde tive que ficar de fora da prova mais forte, de 1,40 metro.

Agora, em Curitiba, é ela quem não competirá nesta segunda etapa do XTC para dar um pouco mais de fôlego ao seu experiente cavalo. Assim, a nossa estreia fazendo percursos na mesma competição por equipe deve ocorrer na terceira etapa, no Clube Hípico de Santo Amaro, no início de junho”, adianta Doda Miranda.

De fato, o Longines XTC reúne muitos familiares em suas 13 equipes, geralmente, formadas por 10 ou 9 cavaleiros onde somente sete podem competir em cada etapa. É o caso, por exemplo, da equipe vencedora da primeira etapa, a Opus, que traz entre seus integrantes dois primos (José Reynoso Fernandes Filho, de 39 anos e José Luiz Guimarães de Carvalho, de 37 anos) e duas irmãs (Lys e Vivian Katherine Park Kang, com 12 e 17 anos, respectivamente).

Com atuação impecável de todos os seus integrantes e principalmente de José Luiz Guimarães de Carvalho, que foi o mais rápido da equipe na prova decisiva, a Opus venceu em São Paulo sem contar com a participação de seu principal competidor, José Reynoso, líder do ranking e o maior vencedor das principais provas do ano passado.

Com a estreia dele confirmada e contando ainda com as participações de Giulia Del Canto Scampini (21 anos), Thales Gabriel de Lima Marino (18 anos), Eduardo Coelho Bárbara (14 anos), Sergino Ribeiro de Mendonça Neto (43 anos) e Hermann Paulo Hoffmann Junior (29 anos), a equipe Opus já está sendo apontada como favorita não só desta segunda etapa como também de todo o Longines XTC, que terá ainda mais seis etapas e um Playoff, em novembro, na Sociedade Hípica Paulista.

Pelo resultado da primeira etapa, as maiores adversárias da Opus serão as equipes Fortuna e Artem, segunda e terceira colocadas, respectivamente, do campeonato. Como destaque desta competição em Curitiba do Longines XTC a participação de uma equipe 100% feminina, que ficou em oitavo lugar na primeira etapa, mas que tem como principal concorrente a gaúcha Karina Johannpeter, vencedora do recente Grande Prêmio do SHP Open e uma forte candidata a conseguir uma das cinco vagas da equipe brasileira no próximo Campeonato Pan-americano, em agosto, em Lima, no Peru.

Fonte: Assessoria

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.