Por Fora
das Pistas

Notícias

25 de abril de 2015

Scampini, diretor das categorias de base da CBH, fala sobre os Campeonatos Americano e Sul Americano

Cada categoria terá duas equipes de quatro conjuntos e um reserva. “O processo seletivo deste ano é igual aos anteriores, ou seja, os três primeiros classificados nas seletivas e os três primeiros no Campeonato Brasileiro estão, desde que tenham feito a adesão até a data estabelecida, objetivamente convocados”, explica Constantino Scampini, diretor das categorias de base da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH).

“Mas como os Campeonatos Americano e Sul Americano acontecem em novembro os Campeonatos Brasileiros são em julho, o Campeão na Seletiva e o Campeão no Brasileiro não têm necessariamente a vaga titular assegurada, evitando assim um eventual prejuízo para as equipes caso tenhamos algum problema com estes conjuntos. A convocação por critério objetivo continua inalterada, ou seja, os três primeiros do Ranking e os três primeiros do Campeonato Brasileiro de cada categoria , terão suas convocações garantidas . Somente estarão habilitados para as convocações, os atletas que tiverem regularizado sua adesão e recolhido a respectiva taxa até a data definida nos comunicados da CBH”, explica o dirigente que destacou a importância do processo seletivo.

“As seletivas também têm como finalidade o preparo e aprimoramento técnico e emocional da nata jovem. Elas são preparadas com as características mais próximas das competições internacionais tanto quanto ao grau de dificuldade, exigência de controle emocional dos atletas e fomento do espírito de equipe”, ressalta Scampini.

“Esse ano tivemos uma taxa de adesão por se tratar de um campeonato em uma cidade pequena, Capilla del Señor, a cerca 100 km de Buenos Aires, com pouca infraestrutura de hotéis. Assim podemos fazer frente às despesas imediatas e já conseguir as melhores acomodações, serviços para a nossa delegação e animais”, explica o dirigente.

“Os pais estão investindo de antemão uma pequena parte dos custos que teriam lá na frente para poder enviar seus filhos a essa empreitada internacional. Se consideramos que nos últimos três anos os nossos jovens conquistaram os mais altos postos nos pódios das maiores competições internacionais, com direito a hino nacional e reconhecimento como país que tem os melhores atletas e categorias de base, “o sacrifício terá valido a pena”. Além de ser um marco eterno na vida destes jovens atletas”, acrescenta Constantino.

“Ao mesmo tempo, temos uma grande admiração por esses jovens que, em nome desta paixão que é o hipismo, mesmo sendo necessário um trabalho diário com os animais , tem ainda que fazer frente às obrigações escolares que não são poucas. Aproveito para agradecer a nova geração do hipismo pela confiança em nossos projetos de base e continuem sendo estes exemplos de atletas e certamente o hipismo nacional terá um futuro brilhante.”

  • Compartilhe
  • <