Por Fora
das Pistas

Saúde animal

22 de janeiro de 2015

O uso do grão de aveia na dieta dos cavalos

Um dos alimentos que pode ser utilizado na dieta é o grão de aveia que, devido ao seu teor alto em gluma e ao seu tamanho, é normalmente bem mastigada e não exige uma preparação especial.

Porém, o conteúdo em nutrientes e qualidade do grão de aveia pode variar, sendo necessária uma inspeção visual e olfativa antes da compra ou fornecimento aos animais, devido à fácil deteriorização do grão (MEYER, 1995).

A aveia é membro do gênero Avena, da família Gramineae que, segundo Ceccon et al. (2004) é um cereal que apresenta múltiplos propósitos devido ao seu teor de proteínas de qualidade e fibras solúveis que pode ser fornecida aos animais na forma de forragem verde, feno e concentrado.

Este artigo de revisão de literatura tem por objetivo elucidar sobre o uso do grão da aveia na alimentação de equinos.

Dentre vários alimentos disponíveis para alimentar equinos, Yvonne (2004) relata que o grão de aveia contém uma digestibilidade do amido de 90%, assim, quando o animal se alimenta de aveia adequadamente, ela será facilmente digerida. O mesmo autor também defende a idéia de que aveia integral é ideal para equinos, devido a elevada proporção de mucilaginosas, alta proporção de casca, digestibilidade do amido alta, alto teor de gordura e ideal para mastigar, levando em conta a dentição do cavalo

O grão de aveia é o cereal mais popular e mais seguro devido ao teor de fibras na MS, 13% para alimentar os cavalos. E também quanto mais pesado o grão de aveia, mais nutrientes contidos por unidade de peso (GRIFFIN, 2009).

Braunner (2010) analisa a aveia como a mais nobre fonte energética de origem vegetal, pois, além disso, tem alto teor em fibra e alto índice de digestibilidade e metabolização.

Andriguetto (2004) constata que a aveia tem cerca de 11,50% de proteína bruta na MS e os teores de cálcio e de fósforo são um pouco superiores ao que se define como normal. O mesmo autor cita que o grão é pobre em vitamina A e deve ser fornecido moído ou preferencialmente amassado, excluindo a aveia muito nova ou mofada, pois podem provocar cólicas nos equinos.

A maioria dos estudos que compararam a digestibilidade da aveia em flocos mostra que esta é 6% mais digestível que a aveia integral. E no intestino delgado, a diferença pode ser ainda maior (WARREN, 2002).

Cintra (2008) relata que é necessário dar grão de aveia para os cavalos somente quando a dieta exigir. E se for utilizado volumoso de boa qualidade, sal mineral, água fresca e limpa, complementação com um concentrado balanceado e equilibrado de boa qualidade e específico para o animal e sua atividade, o máximo que se pode precisar é de um suplemento, mas a aveia não pode ser um, para não sobrecarregar o cavalo com excesso de amido.

Há muitas contradições entre os autores sobre o uso ou não do grão da aveia na dieta de equinos, como por exemplo, Cintra (2008) relata que é um grão ótimo para cavalos atletas, devido ao seu teor de proteína e, principalmente de energia, porém, ele recomenda dar somente quando a dieta exigir. Já, outros autores defendem a idéia de que o grão de aveia é desequilibrado nos teores de cálcio e fósforo, que deveria ser de 2:1.

Moore (2009) ainda comenta que este grão não é nutricionalmente apropriado, deixando a dieta dos equinos comprometidas e, consequentemente, seu desempenho em qualquer atividade.

Conclui-se que o correto seria utilizar o grão de aveia juntamente com algum concentrado e, quando necessária, uma suplementação vitamínica. Também é considerável a disponibilidade de água fresca à vontade.

Quando o animal é tratado somente com o grão de aveia, podem ocorrer problemas gastrintestinais, como por exemplo, a cólica. Porém, outros autores argumentam que este grão é o alimento básico para os equinos e, que se administrado de forma correta não causa problemas algum para os animais.

Referências ANDRIGUETTO, J. M. Nutrição Animal. 3. ed. vol. 1. São Paulo: Nobel, 2004. ANDRIGUETTO, J. M. Nutrição Animal. 3. ed. vol 2. São Paulo: Nobel. 1989. CECCON, G. Rendimento de grãos de aveia branca (Avena sativa l.) em densidades de plantas e doses de nitrogênio, 2004. Disponível em: . Acesso em: 19 junho 2011. CINTRA, A. Entrevista: Mitos E Verdades Na Nutrição De Cavalos, 2008. Disponível em: . Acesso em: 12 maio 2011. GRIFFIN, A. Aveia, 2009. Disponível em: . Acesso em: 14 maio 2011. LEWIS, L. D. Nutrição Clínica Equina: Alimentação e Cuidados. São Paulo: Roca, 2000.

A maioria dos estudos que compararam a digestibilidade da aveia em flocos mostra que esta é 6% mais digestível que a aveia integral. E no intestino delgado, a diferença pode ser ainda maior (WARREN, 2002).

  • Compartilhe
  • <