Por Fora
das Pistas

Notícias

Elo Qihai é um Mangalarga Marchador que coleciona 15 títulos em competições regionais (Foto: Sérgio Fonseca/Arquivo Pessoal)

23 de junho de 2017

Saúde Animal: Os cuidados com a alimentação e saúde dos campeões

Os meses de junho e julho são marcados pelas tradicionais exposições agropecuárias em todo o país. Nestes eventos, os equinos ganham seu destaque especial, disputando prêmios em competições específicas, que mostram toda a força genética e elegância de cada raça. Mas, afinal, você sabe quais são os cuidados necessários para alimentação de um equino atleta?

Os cavalos e éguas não apenas fazem sucesso com o público nas exposições agropecuárias, como também são sucesso no mercado. Cada vez mais criadores investem no melhoramento físico e genético dos animais, por meio da inseminação artificial ou a transferência de embriões. O objetivo é produzir novos campeões.

Para garantir que o animal tenha saúde, além da beleza, o veterinário Arthur Henrique Vilar Rodrigues, explica que a nutrição desses atletas deve receber atenção especial dos criadores, contendo vitaminas e suplementos. “Essa nutrição deve ser balanceada, os animais devem comer um capim volumoso de boa qualidade e uma suplementação, quando necessária, de ração concentrada”.

O veterinário também explica que os cavalos que participam de competições precisam de mais energia do que os demais animais que atuam em outras atividades em uma fazenda, por exemplo. Por isso, a alimentação é diferenciada, desde a quantidade, até o tipo de dieta, que varia de acordo com a competição que o animal irá disputar. “Normalmente, os equinos que são destinados a competições, comem concentrados de boa qualidade e com bom teor energético. O volumoso dos animais é o feno, o feno de alfafa. A diferença é que os animais que trabalham nas fazendas ficam a pasto, comem capim picado; a ração possui menor teor proteico e de energia”.

Campeão bem tratado

Sérgio Fonseca é criador dos cavalos da raça Mangalarga Marchador há 15 anos, em Alpercata, no Vale do Rio Doce. Elo Qihai, um dos cavalos dele, já coleciona 15 títulos regionais. Sérgio conta que segue a risca os cuidados com a saúde dos animais. A alimentação e as atividades físicas são monitoradas de perto no haras dele. A rotina dos cavalos e éguas é comparada a de um atleta.

“Primeira coisa no dia eles vão receber o capim picado, depois a ração granulada, aí depois eles vão ser escovados. Três vezes por semana vão ser puxados a passo, vão ser montados e colocados na marcha para treinar, no mínimo, uma hora por dia”.

O criador ainda conta que os animais são acompanhados de perto por tratadores e veterinários, que constantemente examinam os equinos. Ele também explica como é a preparação de um campeão.

“O cavalo que disputa competição é igual a um atleta de alta performance, ele tem que fazer um preparo físico, andar a passo três vezes por semana e ser treinado na marcha e na embocadura. A alimentação é especial, tem que ter músculos, a boca tem que tá leve, muito bem adestrado, tem que tirar as pontas dos dentes, o casco, o ferrajador. Para tudo, tem um profissional especializado”, destaca.

Sem estresse

Os cavalos do Sérgio colecionam títulos regionais por Minas Gerais, e tem uma atividades intensa para as competições, mas o veterinário Arthur Henrique Vilar Rodrigues lembra que os atletas de quatro patas também podem se estressar, e para evitar isso é necessário um tempo para que eles relaxem.

“Os equinos devem ser soltos em ambientes limpos, em espaços grandes para que eles se divirtam. Normalmente, nós temos que aproximar o equino do ambiente normal dele, que é solto em pastos, em grandes extensões territoriais. Como nem sempre a gente consegue fazer isso, o ideal é que solte eles em piquetes para que eles corram e relaxem”.

Fonte: G1

  • Compartilhe
  • <