Por Fora
das Pistas

Notícias

13 de julho de 2017

Saúde Animal – A ação antiestresse do triptofano nos equinos

Você sabia que os animais também sofrem de estresse? Não é só o ser humano que tem seu dia a dia acelerado. O cavalo, por exemplo, tem sido muito utilizado para competições esportivas e até mesmo para fins terapêuticos. Exercícios intensos, movimentos repetitivos, treinamentos, temperatura inadequada, entre outros fatores ativam a concentração do cortisol – o hormônio do estresse – na corrente sanguínea dos equinos. Esta condição diminui a imunidade do animal, reduz o desempenho e submete a patologias clínicas como: úlcera, colite, depressão, cólica, pneumonia, laminite (problema de casco), etc.

Para evitar possíveis doenças, é preciso que o criador fique atento a todos os comportamentos do animal. Qualquer anormalidade, o veterinário deve ser chamado para analisar as práticas de manejo e a dieta do equino. Os sintomas mais comuns são: falta de apetite, suor intenso, apatia, mudança de comportamento (roer madeira, bater as patas, balançar a cabeça, inquietação), aumento na respiração, fezes muito líquidas ou secas, ranger de dentes, rapidez na ingestão da ração, entre outros. Segundo a médica veterinária e supervisora técnica de Equinos da Guabi, Cláudia Ceola, o ideal é que seja identificado a possível causa do estresse, para que possa ser minimizado. “Uma sugestão é mantê-los soltos o maior tempo possível em piquetes, e se possível juntamente ou próximo aos outros animais. Desta forma, estaremos preservando o hábito de pastejo e a socialização em grupo que é extremamente importante para a saúde mental dos cavalos, principalmente atletas, que tendem a ser muito confinados”, explica Ceola

Incluir uma dieta rica em aminoácidos – unidades formadoras das proteínas – é fundamental para o desempenho atlético. Há dois grupos de aminoácidos: os essenciais, cujo o organismo não consegue sintetizar, sendo necessária a ingestão de determinados alimentos e os não essenciais, que são produzidos pelo próprio organismo. Dentre os aminoácidos essenciais está o triptofano, um neutro precursor da serotonina – O hormônio do bem-estar, responsável por proporcionar a sensação de prazer.

O triptofano se destaca dos demais aminoácidos por ser menos abundante na dieta. Se associado a algumas vitaminas, nutrientes e minerais sua ação é ainda mais eficaz. Pensando nisto, a Guabi desenvolveu o Horsecrek Haras. Com sabor caramelo e ação antiestresse, contém em sua formulação: triptofano, aminoácidos, magnésio, cromo e vitamina B1. Suas pequenas partículas facilitam a mistura no concentrado de uma forma homogênea, reduzindo a mão de obra, podendo ser fornecido juntamente à ração.

A vitamina B1 age diretamente no metabolismo energético, e na produção de ATP, e auxilia na transmissão de impulsos nervosos, reduzindo sintomas de depressão e aumentando a capacidade para exercícios intensos. O magnésio – um macro mineral importante no desenvolvimento de diversas funções enzimáticas – e acelera a produção da Serotonina. Já o cromo (nutriente) vem para somar como um ótimo melhorador de desempenho por participar da captação de glicose e de aminoácidos, e também por reduzir a produção do cortisol.

O Horsecreck Haras é indicado para animais em situação de estresse, confinados e/ou em constantes deslocamentos em função de eventos equestres, pós-operatórios, entre outros. “O ideal é fornecer 50 g/animal/dia, misturado na ração de uma só vez, preferencialmente no último trato do dia. Para obter o efeito desejado, utilizar na dieta durante 45 dias consecutivos e interromper o fornecimento por 15 dias, num ciclo de manejo que deve ser realizado continuamente. Oferecer volumoso de boa qualidade e água limpa e fresca à vontade”, completa Cláudia.

Fonte: Assessoria de Imprensa

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.