Por Fora
das Pistas

Notícias

Foto: ABCCC/Divulgação

22 de outubro de 2015

São Paulo tem oportunidades para trabalhadores na raça Crioula

Mesmo com as incertezas econômicas do país e o desemprego nas cidades, o campo ainda continua sendo um gerador de oportunidades para quem busca uma atividade. E em São Paulo, com o crescimento na criação de cavalos Crioulos, há vagas para quem busca trabalhar em criatórios. Pensando nisso, o Núcleo de Criadores do Estado está realizando cursos para qualificar trabalhadores.

Nesta semana, durante a exposição no município de Mococa, ocorre um curso para cabanheiros, que são os profissionais responsáveis pelos cuidados e preparo dos equinos. De acordo com o presidente do Núcleo, Edmond Fahrat, o objetivo é fomentar cursos preparatórios nos eventos da raça Crioula, não só para os proprietários como também para os funcionários e trabalhadores. “Temos problemas de mão de obra em São Paulo porque muitos ainda não tem o costume de lidar com a raça Crioula. Além disso, é cada vez mais escassa a mão de obra no campo”, explica.

E a evolução da raça Crioula em São Paulo pode ser medida em números. Depois dos três estados do Sul, os paulistas concentram o maior número de exemplares no país. No total, são 9,42 mil animais pelo território paulista, conforme dados da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) do final de 2014, o que representou um crescimento de 7,8% em relação à manada de 2013. Além da criação para a participação em provas e exposições da raça, a demanda por animais também para a pecuária vem aumentando em São Paulo.

Conforme pesquisa da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo (Esalq/USP), o cavalo Crioulo movimenta anualmente na economia R$ 1,28 bilhão e gera cerca de 240 mil empregos entre diretos e indiretos. O curso ocorre nos dias 22 e 23 de outubro durante a sétima edição da Exposição Morfológica da raça Crioula em Mococa.

Fonte: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective

  • Compartilhe
  • <