Por Fora
das Pistas

Notícias

Foto Leandro Brayner

1 de fevereiro de 2019

Romero Maranhão finaliza gestão com títulos e avaliação positiva do trabalho

Chegou ao fim, no último dia 15 de janeiro de 2019 a gestão do presidente da Federação Equestre de Pernambuco (FEP) Romero Maranhão. Foram dois anos de um trabalho bem avaliado, de crescimento da modalidade no Estado e, sobretudo, títulos importantes conquistados pelos nossos cavaleiros.

Neste período, o hipismo pernambucano ganhou destaque em competições nacionais e internacionais. Entre 2017 e 2018, troféus foram empilhados pelos cavaleiros. No primeiro ano, Henrique Maranhão foi vice-campeão Sul-Americano por equipe, bronze no individual, além de vice-campeão por equipe no Brasileiro na categoria mirim. João Felipe Gomes ficou com o vice-campeonato Brasileiro por equipe na categoria mirim.

João Marcelo Santos conquistou o título do Sul-americano por equipe e o vice-campeonato Brasileiro também por equipe na categoria mirim. Enquanto João Pedro Chaves foi vice-campeão por equipe Sul-americano e Brasileiro na categoria mirim.

Em 2018, Henrique Maranhão foi campeão Brasileiro individual e por equipe, além de campeão Sul-americano por equipe na categoria mirim. João Felipe Gomes levantou o troféu do Brasileiro por equipe e foi vice-campeão Sul-americano por equipe na categoria mirim. João Marcelo Santos levou também o Brasileiro por equipe na categoria mirim.

Ainda na categoria mirim, Paulo Henrique Amorim foi campeão Brasileiro por equipe. João Pedro Chaves ficou com o bronze no Brasileiro por equipe e ouro no Sul-americano por equipe na categoria pré-júnior. Por fim, Paulo Miranda foi campeão Brasileiro individual na categoria júnior e Maria Eduarda Nepomuceno foi campeã Brasileira de Amazonas.

Conquistas que foram alcançadas com o estímulo da Federação realizando clínicas de hipismo com grandes cavaleiros como Doda Miranda e Sérgio Marins, Isabela Travassos…. Além de outras ações para aumentar o nível de disputa entre os pernambucanos e elevar a qualidade nas competições regionais.

“Tentamos incentivar a melhoria do esporte como um todo. Realizamos diversas clínicas de salto e adestramento para salto, trouxemos os melhores cavaleiros e amazonas para clínicas específicas para trabalhar não só tecnicamente, como didaticamente. Funcionou bem e certamente nos ajudou a conquistar os grandes resultados obtidos”, afirmou o presidente Romero Maranhão.

Pernambuco que sempre teve tradição nos torneios de hipismo, está conseguindo marcar presença com cada vez mais força. “Em 2016, por exemplo, tivemos apenas Henrique Maranhão e João Pedro Chaves na seleção Brasileira no Sul-Americano. Em 2017, já tivemos três com Henrique, João Pedro e João Marcelo. E no ano passado, já foram cinco, além dos três de 2017, juntaram-se ao grupo João Felipe Gomes e Paulo Miranda. A FEP nunca tinha tido tantos atletas na competição em um único ano. É um feito da gestão, dos professores e principalmente dos cavaleiros. É um conjunto de fatores”, garantiu.

A FEP investiu também nas etapas do campeonato estadual melhorando a premiação, qualidade das ambulâncias utilizadas nos concursos, os troféus e até na qualidade das provas, a exemplo dos armadores de pista na provas, que tem sido utilizado os mais renomados nacionalmente.

Tudo isto foi feito com a responsabilidade nas finanças da Federação Equestre de Pernambuco. Desta forma, a gestão termina sem dívidas e com equipamentos adquiridos. “Compramos 20 baias móveis durante esses dois anos e com isso deixaremos de alugá-las. E ainda conseguimos equilibrar financeiramente o caixa da FEP”, finalizou.

Fonte: Assessoria

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.