Por Fora
das Pistas

Notícias

Fotos: Fagner Almeida/ABCCC/Divulgação

28 de setembro de 2015

Rédeas de Ouro registra alto nível na primeira edição em São Paulo

Em uma edição marcada por mudanças, renovação e demonstrações de evolução dentro e fora da pista, o terceiro Rédeas de Ouro definiu no sábado, dia 26 de setembro, os seus novos campeões entre os 36 concorrentes que integraram a categoria Aberta.

O destaque da disputa foi o trabalho de Gilson Diniz Filho, responsável por levar à pista os dois vencedores da noite.  Sob o comando do cavaleiro, o garanhão Lindaço da Emaisa conquistou o título do Campeonato Nacional e a fêmea Beija Flor Marca dos Santos levou o troféu de primeira colocada no Potro do Futuro.

O resultado positivo somou-se ao primeiro lugar já conquistado pelo treinador na divisão Snaffle Bit e contribuiu ainda mais como uma nova marca na carreira já consolidada do competidor. “A última vez que eu venci assim deve fazer uns nove anos. Então fazia tempo que eu não tinha um resultado tão bom assim, ganhando vários prêmios. Fiquei muito contente porque são cavalos que estão comigo há um pouco mais tempo”, conta Diniz Filho.

A expansão da raça dentro da modalidade tem trazido bons resultados. O equilíbrio que se manteve presente do início ao fim da disputa só confirmou que, a cada ano, há um aumento de qualidade e competitividade entre os concorrentes da raça no Rédeas, fazendo com que não haja mais supremacia de um grupo seleto de cavalos. Para Hiram Rezende, que julgou os competidores ao lado de Luis Paulo Ramos e Paulo Koury, a mudança no cenário ficou bastante perceptível. “Achei que o nível aumentou. Os cavalos estão evoluindo no treinamento e, em geral, a apresentação em pista foi muito boa e competitiva. Teve cavalo que surpreendeu”, analisa o jurado que também teve a oportunidade de integrar o grupo de avaliadores em 2014.

O Campeonato Nacional provou que a competição não está definida até que o último conjunto entre em pista. Foi nessa posição que o garanhão tostado Lindaço da Emaisa fechou com chave de ouro a disputa, levantando o público e arrancando as maiores notas do júri para se consagrar campeão. Já no Potro do Futuro, além de provar que estão prontos para garantir a continuidade da raça na modalidade, os jovens exemplares confirmaram que podem inclusive competir de igual para igual com os cavalos mais experientes, como fez a fêmea Beija Flor Marca dos Santos, vencedora entre os animais de até três anos hípicos e terceira colocada também no Campeonato Nacional.

Em 2015, o Rédeas de Ouro optou por migrar para o berço das Rédeas no país. Pela primeira vez a disputa exclusiva para o cavalo Crioulo foi realizada no estado de São Paulo, tradicional por acolher as principais provas da modalidade. Apesar de estratégica para a expansão e fortalecimento da raça, a mudança foi uma aposta arriscada da organização. Risco esse que foi minimizado pelo sucesso alcançado. “O evento em si atendeu muito bem as nossas expectativas. Certamente temos pontos que podemos melhorar, mas considero que foi excelente”, avalia o coordenador da Subcomissão de Rédeas, Antonio Correa.

Prova de que a decisão foi acertada é a confirmação do estado paulista novamente como sede da próxima edição do evento, programada para ocorrer entre os dias 19 e 25 de setembro de 2016. A categoria Aberta do Rédeas de Ouro chegou a seu término após duas etapas classificatórias, que reduziram de 60, grupo inicial, para 36 o número de conjuntos competidores.

Vencedores em outras categorias
 
As decisões das categorias do Rédeas de Ouro iniciaram na sexta-feira, dia 25, com o Snaffle Bit, que reúne somente animais com até três anos hípicos. Gilson Diniz Filho também levou o título montando a fêmea Trinta e Oito, filha de Duque do Caajara, cavalo que acumula diversos títulos da modalidade. “Esse cavalo foi treinado pelo Antonio Correa e há poucas semanas ele me convidou para montar esse e alguns outros animais aqui. Foi uma parceria. E percebi o quanto esse cavalo evoluiu”, conta.

Na seleção dos últimos campeões da terceira edição do Rédeas de Ouro, neste domingo,dia 27, F5 Licurgo Tapajós conquistou o bicampeonato da categoria Amador do Campeonato Nacional, novamente sob comando de Jonathan Marca dos Santos, da cabanha Marca dos Santos, de Viamão (RS). A competição também definiu os vencedores do Potro do Futuro Amador e da divisão Principiante Amador.

No Potro do Futuro da categoria Amador, o título ficou com Apache da Pátria Crioula, montado por Rafael de Souza Xavier, da Equipe Sul Rédeas, de Porto Alegre (RS). E na Principiante Amador, o conjunto Fagulha da Roraima e Cassio Menarim, da Fazenda Roraima, de Castro (PR) levou a melhor.
 
Confira o resultado

Campeonato Nacional (Categoria Aberta)

1º lugar
Lindaço da Emaisa, filho de Recomeço de Santa Angélica e Desalmada pampeira; criador Edwaldo Rieper Neto e expositor Emanuelle Ripper, Cabanha Emaisa, Joinville/SC
Cavaleiro: Gilson Diniz Filho. Nota: 217

2º lugar
Melodia do Recanto Crioulo, filha de Babel da Capela e Rebeca da Fascinação; criador e expositor Adelmo Hess, Estância Três Coxilhas, Barra Velha/SC
Cavaleiro: Marcelo Anacleto da Fonseca. Nota: 214,5

3º lugar
F5 Licurgo Tapajós, filho de Senhor de Santa Thereza e Onda Perau; criadores Marco Sanchonete e Francisco Borges e expositor Gilvane Marca dos Santos, Cabanha Marca dos Santos, Viamão/RS
Cavaleiro: Jonathan Marca dos Santos. Nota: 213,5

Alma de Gato Cala Bassa, filho de Piraí 1569 do Brazão e Beta Cala Bassa; criador Marcelo Rezende Móglia e expositor Sílvio Luiz Rickes, Cabanha Dom João, Porto Alegre/RS
Cavaleiro: Robero Jou. Nota: 213,5

Beija Flor Marca dos Santos, filha de Joio do Infinito e Aroeira 02 da Base; criadora e expositora Gilvane Marca dos Santos, Cabanha Marca dos Santos, Viamão/RS
Cavaleiro: Gilson Diniz Filho. Nota: 213,5

Potro do Futuro (Categoria Aberta)

1º lugar
Beija Flor Marca dos Santos, filha de Joio do Infinito e Aroeira 02 da Base; criadora e expositora Gilvane Marca dos Santos, Cabanha Marca dos Santos, Viamão/RS
Cavaleiro: Gilson Diniz Filho. Nota: 213,5

2º lugar
Buenacho Marca dos Santos, filho de PO Undurraga e Cinchador Orquídea; criadora e expositora Gilvane Marca dos Santos, Cabanha Marca dos Santos, Viamão/RS
Cavaleiro: Marcelo Almeida. Nota: 212

3º lugar
Apache da Pátria Crioula, filho de BT Era uma Vez e PO Remolienda; criadora Taiane Paludo e expositor Rafael de Souza Xavier, Sul Rédeas, Porto Alegre/RS
Cavaleiro: Roberto Jou. Nota: 210,5

Vorá Ouro Negro, filho de Leco Chico e Vorá Jóia; criador e expositor Cássio Menarim, Fazenda Roraima, Ventania/PR
Cavaleiro: Edvaldo Gonçalves. Nota: 210,5

Fonte: AgroEffective/ Francine Neuschrank/ABCCC

  • Compartilhe
  • <