Por Fora
das Pistas

Acontece

Foto: Gabriela Lutz

30 de setembro de 2015

Recorde não foi possível, mas não faltou emoção com Luiz Felipe de Azevedo

Quem não esteve presente na SHB neste último sábado, perdeu uma excelente oportunidade de se emocionar com o espetáculo de ousadia e bravura proporcionado pelo conjunto formado pelo cavaleiro Luiz Felipe de Azevedo e o tordilho Quolibri. Ambos ousavam desafiar o recorde mundial de salto sobre muro, ou seja, superar em dois centímetros a marca de 2,40m, estabelecida pelo alemão Franke Sloothaak , na Bélgica, em 1991.

FB_IMG_1443582461440

A propósito, não custa lembrar que a marca de 2,47m, obtida pelo capitão chileno Alberto Larraguibel, com Huaso, em 1949 (Vina Del Mar), foi sobre a sebe irlandesa que, além de ser vazada, permitindo a visão após o obstáculo, possui uma inclinação que facilita a trajetória do animal. Muito embora não tenha obtido êxito em sua empreitada, pois falhou em duas tentativas com o muro a 2,25m, Luiz Felipe de Azevedo, aos 62 anos de idade, não decepcionou o enorme público que lotou as dependências do clube e prestigiou a sua malograda tentativa de recorde.

Tanto que foi ovacionado pelas mais de três mil pessoas que se espremiam em busca de um ângulo melhor para registrar a possível proeza, vibrando intensamente a cada sucesso e lamentando os dois tombos. Sem dúvida, um espetáculo emocionante, onde a quebra do recorde seria apenas mais um detalhe, ou seja, a cereja do bolo. Só o fato de trazer de volta o público para as competições, foi uma vitória, pois trouxe junto com ele a grande mídia para o esporte, fator indispensável para o seu fortalecimento.

Ademais, não custa lembrar que Luiz Felipe de Azevedo já é detentor do recorde brasileiro e italiano da modalidade, com a marca de 2,32m, obtida em Piazza de Siena, em Roma (Itália), obtida em 2002, além de duas medalhas olímpicas – Atlanta (1996) e Sidney (2000) – e do ouro no pan-americano de Cuba (Havana/1991), entre outros inúmeros títulos de menor repercussão. Sem dúvida, saltar um muro de 2,15m de altura aos 62 anos de idade é uma proeza comparável àquela obtida recentemente pelo japonês que, aos 105 anos, em Kyoto, no Japão, conseguiu percorrer os cem metros em pouco mais de trinta segundos e mereceu entrar para o livro dos recordes.

O desafio também levou à constatação que o talento e a coragem de Luiz Felipe de Azevedo continuam inabaláveis, assim como o seu carisma permanece intacto, sem distinção de faixa etária, fator que evidencia tanto a falta de renovação no esporte, quanto à longevidade do atleta. Como se os desafios fossem uma adrenalina indispensável à sua sobrevivência e ignorando os riscos que as quedas sempre podem acontecer, Luiz Felipe de Azevedo foi convidado para participar do indoor que vai acontecer no próximo dia dez de outubro na Sociedade Hípica Paulista, quando haverá uma prova de potência.

Fonte: Debora Lattouf; foto: Anna Carvalho

  • Compartilhe
  • <