Por Fora
das Pistas

Notícias

21 de outubro de 2015

Raça quarto de milha movimenta negócios no interior de São Paulo

Avaré, no interior de São Paulo, novamente foi ponto de encontro de apaixonados pelo cavalo quarto de milha. O 36º Potro do Futuro, 9ª Copa dos Campeões e 1º Derby da Raça Quarto de Milha de Trabalho e Conformação, organizados pela Associação Brasileira dos Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM) surpreenderam pela qualidade técnica dos competidores, e também pelo volume de negócios.

Segundo o Departamento de Esportes da ABQM, foram totalizadas 3.931 inscrições, representadas por 1.931 animais foram conduzidos por mais de 1.189 cavaleiros e amazonas. No Trabalho, são elas: Apartação, Breakaway Roping, Bulldog, Cinco Tambores, Laço Cabeça, Laço Comprido – Técnico, Laço Individual – Técnico e Cronômetro, Laço em Dupla, Laço Pé, Maneabilidade e Velocidade, Ranch Sorting, Rédeas, Seis Balizas, Team Penning, Três Tambores, Western Pleasure e Working Cow Horse; além do Julgamento de Conformação e Performance Halter.

Com uma competição a mais, o Derby, provas específicas para cavalos com cinco anos, o penúltimo evento do ano da ABQM contou pela primeira vez com chipagem obrigatória dos animais. Segundo a entidade, uma maneira a mais de garantir a sanidade dos cavalos em tempos de alerta máximo ao mormo.

– O mormo é uma preocupação no Brasil inteiro. Todos os veterinários estão bastante tensos procurando uma maneira de melhorar essa situação. Na ABQM não poderia estar diferente. A gente tem que proteger ao máximo nosso plantel, ainda mais que esses animais que estão aqui são de melhor genética. Todo cuidado é pouco para evitar qualquer tipo de problema – afirma o superintendente técnico ABQM, Daniel Costari.

Com os cavalos devidamente cuidados e bem alimentados, os cavaleiros e as amazonas aproveitaram todo o preparo genético da raça para fazer bonito nas três arenas do Parque de Exposições Doutor Fernando Cruz Pimentel.

– Acho gratificante poder trabalhar aqui, o nível dos competidores e dos cavalos foram superiores. Melhora a cada ano e a disputa fica cada vez mais acirrada – diz o juiz da ABQM, Aguinaldo Gottardi Filho.

Além do espetáculo das pistas, outra surpresa positiva foi a movimentação de negócios durante o evento. Mesmo diante de uma crise econômica o mercado de quarto de milha se mostra cada vez mais sólido e promissor. Com um leilão a mais que na edição do ano passado, a média por cavalo vendido passou de R$ 100 mil. A organização estima que nos sete dias de evento foram fechados R$ 15 milhões em negócios.

Fonte: © 2015 CANAL RURAL/Gerson Verga/arquivo ABQM

  • Compartilhe
  • <