Por Fora
das Pistas

Notícias

Connor no seu acampamento frente ao McDonalds, em Bury, no Reino Unido

19 de maio de 2016

Protesto contra proibição de cavalos no McDonalds

Tudo começou a 4 de maio, quando o jovem chegou ao Mc.Donalds de Bury, uma cidade perto de Manchester, no Reino Unido, montado no seu cavalo e se dirigiu ao McDrive (take away) para encomendar uma refeição. Na altura, a empregada de serviço disse que não o atendia, porque o serviço era apenas para veículos motorizados.

Na sua conta do Facebook, conta como ficou furioso e começou a fazer um discurso sobre os direitos dos animais. “O meu cavalo é como o meu carro para mim! Você é racista!”, disse, enquanto a cena era registada a cena num vídeo, que, entretanto, se tornou viral nas redes sociais.

Impulsionado pelo sucesso na Internet do seu vídeo, Connor John Hamer voltou seis dias mais tarde ao restaurante, montando um acampamento no relvado do restaurante. Com um gerador, uma tenda onde recebe os visitantes e, acima de tudo, com o seu cavalo, o jovem inglês mantém o seu protesto desde aí.

Citado pelo Dalily Mirror, Connor diz que só vai sair “quando o McDonald alterar a sua posição”, alegando que “no seu regulamento não diz que os cavalos são proibidos”.

Através do Facebook, o jovem convidou outros a juntarem-se a ele no protesto e, no último domingo, teve a companhia de um tocador de gaita escocesa, que animou os presentes. O acampamento tem sido vigiado de perto pela polícia, que efetua testes de drogas e álcool, de forma a evitar que Connor monte o seu cavalo em estado de embriaguez.

Por parte da gerência do McDonalds, o Daily Mail destaca uma resposta em que reconhece “o direito de qualquer pessoa a aparecer fora dos seus restaurantes como quiser, desde que não perturbe os clientes e funcionários”. Sublinha também que, por uma questão de “higiene” e “espaço”, os McDrive vão continuar a ser reservados a veículos motorizados.

Fonte:jn.pt

  • Compartilhe
  • <