Por Fora
das Pistas

Notícias

Animais diagnosticados com mormo precisam ser sacrificados (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

9 de dezembro de 2017

Propriedade interditada após diagnóstico de mormo é liberada

Uma propriedade rural que havia sido interditada em Palmeirante, no norte do Tocantins, por causa de um caso de mormo, foi liberada pela Agência de Defesa Agropecuária (Adapec). O local ficou proibido de receber cavalos, mulas e burros por três meses.

Na época do diagnóstico, um vaqueiro que trabalhava na propriedade e cuidava do cavalo que foi sacrificado estava com suspeita de ter sido infectado pela doença.

Segundo a Adapec, até novembro de 2017, foram registrados pelo menos sete casos de mormo no estado. Quando o animal é diagnosticado com a doença, ele precisa ser sacrificado. Algumas cidades tiveram cavalgadas suspensas por causa de casos como este.

O inspetor da Adapec, Marques Barbosa, conta que a interdição é necessária para que o local fique totalmente livre da doença. “Foi feito o saneamento da propriedade por meio de dois exames, que deram negativos. A propriedade foi liberada”, contou.

A doença

O mormo é uma doença que afeta animais, mas pode ser transmitida para humanos. Os principais sintomas são nódulos nas narinas, corrimento purulento, pneumonia, febre e emagrecimento.

O ser humano pode ser infectado pelo contato com animais doentes, os principais sintomas são febre, com pústulas cutâneas, edema de septo nasal, pneumonia e abscessos e, diversas partes do corpo. A doença é de difícil tratamento e pode levar a morte.

Fonte: G1 Tocantins.

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.