Por Fora
das Pistas

Notícias

Cavalo Minuano da Maranda participa pela primeira vez da Expointer (Foto: Reprodução/RBS TV)

26 de agosto de 2017

Preparação de animais que disputam a 40ª Expointer se intensifica em todo RS

Começa no próximo domingo (27) a 40ª edição da Expointer, realizada do Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Marcada para terminar no dia 3 de setembro, serão nove dias de programação em uma das maiores mostras agropecuárias da América Latina.

Mais de 3 mil animais, das mais diversas regiões do Rio Grande do Sul, são esperados para esta edição. Poucos dias antes da abertura oficial da feira, o preparo e os cuidados com os bovinos, cavalos e ovinos foram itensificados. O segredo para que os animais sejam competitivos, independente das raças, são os cuidados que recebem muito antes do nascimento.

A Associação Brasileira de Criadores de Ovinos vai levar para Expointer deste ano 718 animais. Uma redução se comparar ao ano passado, quando 750 estiveram na feira. Mas mesmo assim, 13 raças vão participar da mostra.

Em um criatório tradicional de ovinos de Bagé, na Região da Campanha, os preparativos com os animais começam antes do nascimento. O cuidado começa na hora do acasalamento, e depois a manutenção é feita com alimentação e tratamento especial.

“Depois de todo esse ano de preparação, agora são só os detalhes para Expointer. Como arrumar a lã para o julgamento, tirar a sujeira. Arrumar os animais para chegar lá e eles estarem bem apresentados”, explica o produtor rural Manuel Gularte Sarmento.

A preparação é tão intensa que os borregos [filhotes], antes mesmo de completarem um ano, já pesam mais de 100 kg.

A cabanha de Manuel, como são chamadas as fazendas especializadas na criação e manutenção de animais, levam ovinos desde a primeira edição da feira. Para a veterinária da cabanha, o segredo para tantos anos de exposição está no trabalho feito pelos cuidadores.

“Muita dedicação e uma equipe de trabalho que goste do que faz”, conta Luísa Gularte Sarmento.

Do total de 250 cavalos crioulos incristos para julgamento morfológico na Expointer deste ano, 14 são de Santa Maria, Região Central do estado.

Na cabanha do pecuarista Felipe Marques da Rocha, os cavalos começam a receber cuidados desde às primeiras horas da manhã. Eles são limpos, escovados e tosados. Esse tratamento especial já garantiu várias premiações.

O treinamento físico e a alimentação também fazem parte dos preparativos. Mas assim como os ovinos, antes mesmo do nascimento do animal são feitas escolhar que garantem um animal campeão.

“A preparação dos animais começa desde a escolha, antes mesmo de estarem na barriga das mães. Escolha dos cruzamentos, depois dos potros nascidos vai ser feita uma seleção para ver qual vai ser investido com esse intuito. Uma parte da geração vai ser destinada mais pra rodeio e a parte da ponta normalmente é selecionada pra morfologia”, explica o pecuarista.

Dois animais da cabanha de Felipe vão para a Expointer deste ano. Um deles é o cavalo chamado Minuano da Maranda, que tem apenas dois anos e oito meses e participa pela primeira vez do julgamento de morfologia. O animal compete pela categoria ‘potranco menor’ e está com boas chances de acordo com o seu preparador.

“Ele se entrega. É um cavalo que não é teimoso, se ajuda. Isso é uma baita de uma mão. Um bicho que começa a teimar é ruim. Ele se ajuda e eu ajudo ele”, conta o preparador Paulo Saragoza.

Este ano, a Expointer irá receber 660 bovinos de corte e mistos de 17 raças . Só da Fronteira Oeste serão 200 animais que participarão da feira este ano. A região é a que tem o maior rebanho do estado e sempre se destaca como favorita nas categorias de raças britânicas como Angus, Brangus, Hereford E Braford.

Para o proprietário de cabanha, Guilherme Duarte, isso ocorre com um bom planejamento e boas escolhas antes mesmo do nascimento do animal.

“É realmente, o trabalho começa desde o nascimento, até antes, no acasalamento daquele ventre, com determinado touro. Também é necessária a escolha do terneiro depois que ele é nascido, e é um trabalho de um ano, até dois anos, até tu chegar a ter um animal pronto, bem preparado para chegar até um grande campeonato”, informa.

Animais de pequeno porte também recebem uma preparação importante. No Haras Terra, em Tupãciretã, os pôneis tem uma preparação que vai desde a tosquiagem de pelos até o casquiamento. O haras já foi premiado na Expointer em 2016, com a campeã e a reservada campeã.

Fonte: G1

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.