Por Fora
das Pistas

Notícias

Charretes puxadas por cavalos serão proibidas Reprodução RecordTV

11 de outubro de 2018

Petrópolis decide pelo fim de charretes puxadas a cavalo

Por 68,58% de votos contra e 31,42% a favor, moradores de Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, decidiram pelo fim das charretes puxadas a cavalo na cidade. No último domingo (7), além de votarem para presidente, governador, senadores, deputado federal e estadual, os petropolitanos também decidiram sobre o destino das charretes, conhecidas como “vitórias”.

O plebiscito movimentou as redes sociais e ruas da cidade. Os defensores dos animais, contrários às charretes que ficam perto do Museu Imperial, conseguiram o apoio de artistas, que se manifestaram nas redes sociais. Os grupos favoráveis à manutenção das charretes chegaram a divulgar um vídeo em que uma mulher puxa a charrete, com cinco pessoas em cima, para mostrar que os cavalos não fazem um trabalho penoso.

O plebiscito foi convocado pela Câmara de Vereadores. Por determinação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), as urnas do município foram preparadas para receber a votação extra.

Atualmente, 13 “vitórias”, que circulam no centro histórico da cidade, estão cadastradas na prefeitura, e usam 39 cavalos, em escala de revezamento.

Segundo o presidente da Comissão de Proteção e Defesa dos Animais da OAB-RJ (Ordem dos Advogados do Brasil Regional Rio de Janeiro), Reynaldo Velloso, agora é preciso avaliar como será a substituição das charretes. “A gente vai ter que abrir o diálogo agora para substituição das charretes a tração animal por charretes elétricas. Nós temos que ver a questão de empregabilidade dos charreteiros, o turismo vai ser dinamizado”, disse.

Velloso informou que os cavalos serão abrigados pela organização não governamental Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal, onde serão bem tratados. O presidente da comissão da OAB-RJ avaliou que carros ou bondes elétrico podem ser opções alternativas para substituir as charretes.

Fonte: Agência Brasil

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.