Por Fora
das Pistas

Hall da Fama

Sir Mark Todd, nascido na Nova Zelândia

9 de dezembro de 2015

Personalidade Abhir – Mark Todd: Técnico da Seleção Brasileira de CCE

Mark é sinônimo de Concurso Completo de Equitação. Desde que começou a competir no topo em 1978, o neozelandês foi nada menos que seis vezes medalhista olímpico. Seus triunfos insuperáveis foram recompensados com o título de cavaleiro em 2013, o MBE (1984), a CBE (1995) e, em 2000, ele foi eleito o ‘Cavaleiro evento do século 20 “pela FEI.

A contratação do neozelanês conhecido com o Pelé do CCE, para ser técnico da seleção brasileira faz parte do ciclo olímpico rumo aos jogos do Rio de Janeiro, em 2016.

ABHIR: Mark, como surgiu o interesse pelo esporte e pelos cavalos?
Desde sempre amei os cavalos. Minha família sempre esteve envolvida com os cavalos e consequentemente eu também. Já montava desde os 7 anos. Iniciei no CCE por volta dos 14/15 anos de idade e estou nele ate hoje.

ABHIR: Quais modalidades esportivas já praticou?
Sempre fui do esporte. Já pratiquei atletismo, salto em altura, corrida, rugby, natação. E um esporte que pratico por hobby é o esqui no gelo.

ABHIR: Qual animal mais te marcou?
Carisma era seu nome. Animal este que me deu duas medalhas de ouro. Tinha um coração gigante, animal fantástico, pequeno e muito corajoso, com características incríveis, morreu a pouco tempo com 30 anos.

ABHIR: Ídolos?
Quando eu era jovem, adolescente, cresci acompanhando vários ídolos, amazonas do dressage, e cavaleiros experientes de salto. Ainda hoje não me canso de assistir vídeos desses cavaleiros e amazonas mais experientes.

ABHIR: Um aprendizado que o hipismo trouxe?
Acredito que o maior aprendizado de todos é ter PACIENCIA. Você não pode de maneira alguma forçar seu cavalo a fazer algo que ainda não está pronto. Você tem que ter paciência para treiná-lo e prepará-lo. E sentir a hora e o momento em que ele estará pronto, você tem que amar seu cavalo.

ABHIR: O melhor e o pior deste esporte?
O melhor e a razão do CCE é o cross!! Mas é maravilhoso porque é completo e envolve o dressage e o salto. Também no meu caso, a oportunidade de viajar e conhecer pessoas maravilhosas no mundo inteiro e fazer amizades. Cada hora estou em um lugar, vivendo e conhecendo pessoas incríveis que estão envolvidas neste esporte. O pior e mais triste é quando cavalo ou cavaleiro se machucam.

ABHIR: Qual seu objetivo dentro do esporte?
Meu objetivo dentro do esporte é continuar aprendendo e ensinando.

ABHIR: Uma dica para quem está começando?
Ter paciência e assistir a vídeos, a clínicas, as aulas de cavaleiros e amazonas mais experientes. Hoje em dia é mais fácil ter acesso aos maiores cavaleiros e amazonas do mundo através da Internet.

ABHIR: Qual a importância dos jovens atletas?
Ser persistente, perseverante e ter objetivos. Tem que pensar no ouro, mas que isto seja feito de uma maneira suave e consciente, tanto para o cavalo quanto o cavaleiro/amazona. Conquistar um degrau de cada vez. A paciência é a maior qualidade de um cavaleiro/amazona que quer chegar lá.

Fonte: ABHIR – Entrevista e tradução: Dalva Sabino

  • Compartilhe
  • <