Por Fora
das Pistas

Acontece

5 de abril de 2016

Olimpíadas Rio 2016: OIE reconhece trabalho do Mapa para declarar centro de hipismo como livre de doença de equídeos

A Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) reconheceu o trabalho do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para garantir a sanidade dos equinos atletas e a biossegurança no Complexo Militar de Deodoro (CMD), onde está o Centro Olímpico de Hipismo (COH), que será palco de provas hípicas durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.  Em carta enviada ao Mapa, a entidade internacional considera o COH como zona livre de doenças de equídeos e diz que o Brasil seguiu criteriosamente as suas recomendações para tornar o centro de hipismo uma área segura no aspecto sanitário para a competição.

O Departamento de Saúde Animal (DSA) do Mapa desenvolveu o projeto de “Auto Declaração do Brasil para o Estabelecimento de uma Zona Livre de Doença de Equídeos (EFDZ)” no Complexo Militar de Deodoro”, especialmente no Centro Olímpico de Hipismo. O trabalho estabeleceu as condições sanitárias no Corredor de Biossegurança, que inclui o Aeroporto do Galeão e a rota de deslocamento entre o aeroporto e o COH e o COH. Além disso, criou as garantias sanitárias de uma zona de alta vigilância para todo o CMD.

“A OIE reconheceu e felicitou os esforços do Mapa para garantir a retirada de todos os animais do centro de hipismo desde abril de 2015 e a manutenção do vazio sanitário até o fim dos jogos, bem como todo o planejamento de biossegurança que será aplicado no Centro Olímpico de Hipismo, disse o diretor do Departamento de Saúde Animal, Guilherme Marques.

Além disso, a OIE destaca a descrição detalhada do estudo de vigilância ativa realizada pelo DSA entre julho e novembro de 2015 em todo COH para as doenças de mormo e anemia infecciosa equina. Também ressalta a clareza na apresentação dos resultados das investigações das doenças. A OIE elogia o Brasil pelo extenso trabalho que tem sido realizado para a preparação segura e bem-sucedida dos Jogos Olímpicos 2016, no Rio de Janeiro.

Há quatro anos, o Mapa vem desenvolvendo e implantando medidas sanitárias e de biossegurança para que as provas equestres dos XXXI Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 tenham garantia sanitária dos cavalos participantes e do plantel nacional de equinos. As ações de vigilância levaram à elaboração de um estudo oficial, que resultou no “Auto Declaração do Brasil para o Estabelecimento de uma Zona Livre de Doença de Equídeos (EFDZ)”

Fonte: Assessoria de comunicação social

  • Compartilhe
  • <