Por Fora
das Pistas

Hall da Fama

Tiago e Laretto B no Mini-GP do CSN-Derby CHSA

21 de abril de 2015

O cavaleiro Tiago Camargo está no Hall da Fama

PFDP: Quando começou a praticar o hipismo?
Comecei a montar em 1981, com 7 anos, na escola de equitação da Sociedade Hípica de Campinas.

PFDP: Já fez dentro do esporte outras modalidades? Comente.
Por um período, além do salto fiz hipismo rural, e fui campeão brasileiro da categoria Junior
Além disso fiz também um pouco de adestramento para aprimorar o trabalho de plano.

PFDP: Participou das categorias de base? Alguma vitória inesquecível?
Só saltei um ano da categoria Mirim, quando eu tinha 10 anos. Quando eu comecei a montar só existiam as categorias Mirim, Junior e Sênior. Nesse ano fui campeão Paulista de Mirim. No ano seguinte meu pai faleceu e minha mãe ficou viúva com 4 filhos.Eu sou o mais velho.  Por precaução ela resolveu vender todos os cavalos que tínhamos. Nunca mais consegui saltar as categorias de base.

PFDP: Acha que o esporte sofreu grandes alterações de dez anos para hoje? Comente se as mudanças foram positivas ou negativas.
Com certeza aconteceram muitas mudanças positivas. Não saberia destacar se existe alguma mais importante. De dez anos pra ca o esporte se tornou mais divulgado. Você tem acesso as muitas competições, seja por transmissão na televisão aberta ou em  sites específicos. O piso foi outro fator que evoluiu muito dando melhores condições para os cavalos saltarem e os preservando muito mais. Não podemos deixar de citar os grandes concursos que existem agora. O global Champions Tour e o Máster, por ex, trouxeram uma outra realidade para o esporte. Esses concursos são um grande evento para todos, não só para os cavaleiros, mas para o publico também.  A premiação paga nesses concursos é muito boa, os cavalos se valorizaram muito e o mercado esta bem aquecido.  A qualidade da criação deu um grande salto. Sem duvida nenhuma nosso esporte sofreu alterações positivas

PFDP: Qual foi seu melhor cavalo até hoje? Por quê? Comente filiação e conquistas.
Não posso me limitar a escolher um cavalo. Todos os cavalos que montei me ajudaram de alguma maneira. Meu primeiro cavalo chamava-se Tenerife ( SRD ). Meu pai o comprou quando eu tinha 8 anos. Era um cavalo muito competitivo e me ensinou muito, ganhamos muitos provas, inclusive o campeonato de mirim.   O  Land Max do Feroleto  ( LandRitter X Attack Z ) foi outro cavalo muito importante para mim assim como a Pia Lena Jmen (Paladino JMen X Cor Dalme ).  Outro cavalo muito bom que montei foi o Sam Van Generheese , um cavalo muito leal com o qual saltei todas as provas que eu quis nesses dois últimos anos e classifiquei bastante. Não pode faltar nesse relato, o cavalo que me deu o titulo mais importante que tenho, campeão Brasileiro de sênior, individual e por equipe. Além do campeonato paulista de Sênior,  campeão do Mini GP da Copa são Paulo, Vice campeão do GP no CSIW Rio de Janeiro,  Mickey Vila Fal ( Voltaire X Iveday) , um cavalo BH  filho de criação do empresário Arnaldo Diniz.

PFDP: Quando optou em seguir carreira no esporte? Teve algum grande ídolo ou um incentivador?
Depois que me pai faleceu, me afastei um pouco das competições e diminui o ritmo de treinamento. Quando eu tinha 15 anos surgiu a oportunidade de eu começar a dar aulas em uma escola de equitação. Sabia que  para eu continuar no esporte a única maneira seria fazer dinheiro com os cavalos para eu poder sustenta-los. Decidi aceitar o convite. Assim eu comecei a me profissionalizar e dai em diante fui consolidando minha carreira, tanto como cavaleiro, técnico como comerciante. Quando acabei a faculdade de Direito passei a me dedicar tempo integral ao hipismo.

Considero o Rodrigo Pessoa um cavaleiro fora do comum. Sempre me inspirei nele. Gosto  muito também da historia do Ayrton Senna, acho que foi um grande ídolo para todos os esportista. Mais ídolo para mim foi, é e sempre será a minha Mãe. Perdemos meu pai muito cedo e ela nos criou sozinha, de maneira irretocável, superando todas as dificuldades que apareceram.  Nos ensinou que tínhamos ser honestos, educados e lutar sempre pelos nossos ideais. Sem duvida é a pessoa mais importante na minha vida.

PFDP: Qual a principal mudança que percebeu nos últimos tempos na elaboração dos percursos?
Os percursos hoje estão mais técnicos, mais delicados, mais altos e largos. Os desenhadores mais experientes e o tempo mais justo.

PFDP: Se pudesse voltar no tempo, qual concurso você traria para a atualidade? Por quê?
Eu gostava muito do concurso no CEPEL. Era um concurso muito gostoso e o único lugar que uma pista de grama iluminada rodeada de camarotes. Era muito bom.

PFDP: Onde monta atualmente?
Monto na Sociedade Hípica de Campinas.

PFDP: Qual é a sua rotina de treinos?
Treino de terça a sexta das 8:00 das manha as 19:00 da noite, paro somente para almoçar com meus filhos e com minha esposa. Não abro mão de ir almoçar com eles. Sábado e domingo treino das 8:00 as 14:00 quando não estou nos concursos.

PFDP: Qual a é sua programação para o ano em curso?
Pretendo fazer o maior numero concursos que puder. Uso os rankings de Campinas, Santo Amaro e Paulista para “rotinar” os cavalos em treinamento e os animais mais prontos tento seguir o calendário da CBH.

PFDP: Qual é a principal meta a ser cumprida?
Minha principal meta para o ano é evoluir os cavalos em treinamento, concluir os projetos em andamento, comercializar bom animais, dar retorno aos meus investidores e  ganhar o maior numero de competições possíveis.
PFDP: Conta com quais cavalos para as provas fortes da temporada?

Acabei de vender de vender SAM VAN GENERHEESE, para uma aluna do Cristiano Quadros, cavalo com o qual disputei as duas ultimas temporadas. Um Cavalo muito leal que sempre faz tudo com o maior capricho. Para esse ano tenho a CHARME, uma egua de 10 anos que começando nas provas fortes, que como o SAM, fruto da parceria com meu irmão Andre Camargo, Fabio Sarti e o grande amigo João Ney Colagrossi. Tenho também o pequeno grande notável PICOBELLO GHOST, que estará sob minha sela enquanto sua proprietária Barbara Souza passa uma temporada na Europa. E por fim, EROS B, um cavalo de 11 anos, muito experiente, de uma montabilidade incrível, bem técnico  recém adquirido na Europa em parceria com um amigo muito especial,  Esdra Ramos, que chega dia 16 de Abril.

PFDP: Se pudesse montar qualquer cavalo do mundo, qual seria? Comente!
Acho que o nível dos cavalos na atualidade esta muito alto, talvez o melhor nível médio das ultimas décadas. Como não poderei escolher o Baloubet, o Hisckstead ou o Shuterfly, cavaleiro gosta de cavalo bom e cavalo bom é aquele que ganha. Por isso eu escolheria montar o cavalo do Scott Brash,  Hello Sanctos,  um dos cavalos que mais ganha na atualidade ou o  cavalo da Beezie Madden, o Cortez C.

PFDP: Para encerra, conte-nos alguma vitória/prova que foi inesquecível!
Toda vitória é inesquecível. Cada uma delas tem um sabor diferente. Para citar uma, o ultimo percurso do Grande Prêmio final do campeonato brasileiro de sênior.

  • Compartilhe
  • <