Por Fora
das Pistas

Notícias

31 de julho de 2017

Novas recomendações sobre forragens conservadas para cavalos

Nos últimos anos, um crescente número de trabalhos científicos, dedicados ao estudo de problemas metabólicos como a obesidade, a resistência à insulina, alguns tipos de cólica, úlceras gástricas e rabdomiólise, assim como problemas relacionados com distúrbios comportamentais, têm vindo a identificar a existência de um fator comum, essencial à sua prevenção: a forma de utilização, a quantidade e a qualidade das forragens, na dieta dos cavalos.

A necessidade de se criar um consenso europeu sobre as recomendações relativas à inclusão de forragens na alimentação dos cavalos foi primeiramente identificada em 2012, no Workshop Europeu de Nutrição Equina (EWEN), realizado em Portugal.

Desde então, um grupo de especialistas europeus em nutrição, alimentação e saúde equina reuniu-se para a revisão da mais recente bibliografia publicada sobre o tema, tendo culminado com a publicação do artigo de revisão: “Feeding conserved forage to horses: recent advances and recommendations”. Este documento pretende divulgar à comunidade científica e ao público em geral, as mais recentes recomendações sobre forragens conservadas, representando o primeiro Consenso Europeu nesta matéria.

No artigo são definidos os tipos e as formas de conservação de forragens para cavalos, é compilada a informação mais recente em relação à qualidade nutricional e à qualidade higiênica das forragens conservadas na Europa e é realçado o seu impacto nos processos digestivos e na saúde gastro intestinal (nomeadamente no ecossistema ceco-cólico).

A importância da componente forrageira na prevenção de distúrbios metabólicos e outros, bem como na garantia de manifestação do comportamento alimentar natural do cavalo são também discutidas. De um modo geral, uma forragem de elevada qualidade nutricional pode fornecer 80 a 100% das recomendações energéticas para cavalos em trabalho moderado a elevado.

O artigo termina com recomendações inovadoras e consensuais sobre a quantidade de forragem a fornecer, forma de administração e distribuição ao longo do dia, bem como as quantidades mínimas e as quantidades ideais a serem fornecidas, por forma a garantir a saúde e o bem-estar do cavalo e a sua performance.

As principais recomendações-chave incluem:

• Quantidade mínima diária de forragem que deve ser fornecida – 1,5% Peso Vivo do cavalo, em kg de Matéria Seca;
• Sempre que possível, analisar as forragens – este tipo de análise é fundamental para estimar o seu valor nutritivo;
• Avaliar a qualidade higiénica das forragens com regularidade;
• Nos cavalos estabulados, fornecer uma quantidade diária de forragem que garanta o comportamento de busca e preensão de alimento, num período mínimo de 8h/24h;
• Os períodos de jejum devem ser sempre inferiores a 4-5h.

Fonte: Equisport

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.