Por Fora
das Pistas

Notícias

Foto: arquivo

1 de julho de 2016

Nilson Moreira e Marcio Appel confirmados para o CIC2* Brightling

Neste fim de semana os cavaleiros de CCE Nilson Moreira da Silva e Marcio Appel estarão nas pistas, disputando o CIC2* Brightling. No outro fim de semana, 9 e 10 de julho, toda a equipe estará no CIC3* Barbury.

A 36 dias dos Jogos Olímpicos as equipes do Hipismo entram no momento de ajustes finais de seus conjuntos, visando à convocação para a competição Olímpica. Na Inglaterra desde o início do ano, os principais cavaleiros do Concurso Completo de Equitação, estão tendo a oportunidade de ter um acompanhamento especial nesta reta final.

Nesta última semana de junho, Ruy Fonseca, Marcio Carvalho Jorge, Carlos Paro, parte da equipe que conquistou a medalha de bronze nos Jogos Pan-americanos de Toronto, em 2015, além de Marcio Appel e Nilson Moreira da Silva, estão realizando um “team trainning” especial, com um juiz de Adestramento da Federação Internacional (FEI), em treinos específicos para a modalidade, que acontece no primeiro dia de competição.

Durante os treinos os cavaleiros passaram a reprise, que será apresentada durante os Jogos Olímpicos, e são filmados e observados pelo técnico e juiz. Depois recebem as devidas avaliações e notas do juiz, Nick Burton. Após este treino, ainda realizaram treinos de saltos, acompanhados de Gabriel Marques, que trabalha com a equipe de CCE, e cross country, provas que compõem a modalidade olímpica, o “triathlon” do hipismo.

“Tivemos aqui o treinamento com o juiz olímpico, Nick Burton, que veio nos assessorar na reprise que vamos utilizar nos Jogos do Rio. É importante ter os olhos de um juiz desse nível e gabarito, que faz alguns ajustes com a gente, sinaliza o que podemos melhorar, o que podemos manter na apresentação. Como ele não conhece muito bem os cavalos, isso é muito bom, já que ele vem com um olhar ‘fresh’, sem conhecimento do cavalo”, comenta Ruy Fonseca, também medalhista de bronze, no individual, nos Jogos Pan-americanos de Toronto.

Pela primeira vez em uma campanha olímpica foi possível viabilizar esse tipo de oportunidade para os cavaleiros. A Confederação proporcionou a ida dos cavalos para a Europa, para que os conjuntos pudessem então disputar os principais concursos do circuito europeu com os principais concorrentes, além de poderem realizar treinamentos tão específicos, com a participação de pessoas tão importantes e renomadas no meio equestre.

“Foram de extrema importância as opiniões, para vermos aonde podemos ganhar, uma nota aqui, uma ali. Além de todo o conhecimento, após fazermos o treinamento, a reprise, ele nos deu alguns detalhes técnicos, algumas dicas para explorarmos nessas últimas semanas antes dos Jogos. Foi sem dúvida um grande dia de treino para a equipe brasileira, e pelo que eu assisti também, os cavalos em geral estão trabalhando muito bem. Agora precisamos acertar os detalhes finais para que todos nós tenhamos um bom desempenho no Rio. Agradecemos muito a CBH pela oportunidade e aos nossos parceiros e patrocinadores, que fazem isso tudo acontecer. Esperamos chegar ao Rio com chances reais de medalha”, completa Ruy Fonseca.

Fonte: MKT Mix – Assessoria de Imprensa

  • Compartilhe
  • <