Por Fora
das Pistas

Notícias

Em 2014, com 131,4kg, Felipe Badu precisou parar de praticar o esporte que ama. Fumante, decidiu largar o cigarro e fez cirurgia para perder peso e voltar a montar

8 de julho de 2016

Militar deixa obesidade para trás com paixão pelo hipismo e amor pela filha

Pressão alta e colesterol alto. Apneia do sono, pré-diabetes e dois maços de cigarros por dia. Essa era a vida de Felipe Badu, de 30 anos, em 2014 com 131,4kg. Apaixonado por hipismo desde quando conheceu o esporte em 2005, no segundo ano na Academia Militar das Agulhas Negras, Badu se viu obrigado a deixar a prática de lado por conta da condição física (assista ao vídeo acima para saber mais sobre a relação do militar com o hipismo).
Embora o problema para controlar o peso sempre tenha feito parte da vida do capitão do exército, em 2014 a situação fugiu do controle. Treinar com os cavalos já não era mais uma atividade que podia fazer frequentemente, como quando conheceu o hipismo. Em abril, enquanto treinava se sentiu mal e foi parar no hospital.

– Eu tinha 29 anos, minha filha apenas cinco. Percebi que se mantivesse aquele padrão de vida, nunca mais montaria e provavelmente não veria minha filha crescer. Decidi buscar ajuda para uma mudança radical. Parei de fumar e procurei um médico para tratar a obesidade, fui indicado a fazer a cirurgia bariátrica.

Em setembro fez a cirurgia, e 30 dias depois já dava novos passos rumo à mudança no estilo de vida. Começou a correr, fazer musculação e passou a se alimentar melhor. Em janeiro de 2015, pouco menos de um ano após o susto, pôde montar e treinar hipismo novamente. A paixão pelo esporte e pela filha foi essencial para que Badu começasse a nova vida.

– O retorno às pistas foi uma vitória, principalmente após ter emagrecido 57 Kg. Hoje eu vejo que por causa do hipismo e por querer participar mais da criação da minha filha tive a impulsão necessária para realizar esta mudança radical.

Para Badu, o hipismo é como uma terapia. Por isso, foi tão sofrido quando precisou ficar parado por conta do peso. Segundo ele, a cada dia do processo de recuperação imaginava como seria quando voltasse a montar, essa era a grande motivação. Manter o equilíbrio, a mente e o corpo saudáveis são consequências que o militar atribui à prática do esporte.

– Aprendi muito com o hipismo. A prática ajuda o atleta a aprimorar atributos importantes como coragem, tomada de decisão, dedicação e lealdade. Além disso, a relação com o cavalo é fenomenal. Com ela consegui desenvolver a calma, paciência e humildade – garantiu.

partes do corpo trabalhadas pelo hipismo

– Pernas
– Glúteos
– Abdômen
– Braços

benefícios do hipismo

– Melhora a postura;
– o equilíbrio;
– a coordenação motora
– e a concentração
– Diminuição do nível de estresse
– Ajuda na tomada de decisão
– Aumenta a autoestima e confiança
– Ajuda a desenvolver senso de responsabilidade e disciplina

Fonte: Globo Esporte *Agradecimento Escola de Equitação do Exército, EsEqEx

  • Compartilhe
  • <