Por Fora
das Pistas

Notícias

(Foto: Gazetapress)

16 de julho de 2015

Líderes no último quadro geral de medalhas, os EUA são o país a ser batido

Há mais de 2 mil anos, na Grécia, o adestramento de cavalos começou para prepará-los para a guerra e isso é considerado o início do hipismo, que foi mais desenvolvido durante o tempo.

Esportes de equitação fazem parte do programa Olímpico desde 1900, nos jogos de Paris, com provas de salto apenas. Até 1948 só os homens podiam competir, mas essa restrição acabou em 1951 e desde os jogos de Helsinki, em 1952, as mulheres participam com os homens em eventos mistos.

O hipismo é disputado nos jogos Pan-Americanos desde que eles começaram em 1951 em Buenos Aires, naArgentina. Os brasileiros fizeram sua estréia na 3ª edição da competição, em 1963, quando o Pan foi realizado pela primeira vez no Brasil, mais especificamente em São Paulo.

Nesse esporte, homens e mulheres competem juntos na disputa por medalhas, nas provas mistas, em condições de igualdade. Os conjuntos com melhor desempenho nas provas têm a classificação para os Jogos Olímpicos garantida.

No Pan-Americano são disputadas três modalidades, podendo ser individuais ou por equipes: adestramento, concurso completo de equitação (CCE) e saltos:

Hipismo salto: o atleta precisa passar por uma sequência de obstáculos que ficam espalhados por uma pista.

Hipismo adestramento: nesta modalidade, o cavaleiro, sem falar com o cavalo, orienta a execução de uma série de movimentos, como círculos e diagonais, entre outros.

CCE (concurso completo de equitação): essa prova é disputada em três dias e engloba os saltos, o adestramento e o cross country. É preciso passar por obstáculos que simulam elementos naturais, como troncos, cercas, subidas e descidas.

No Pan de 2011, realizado em Guadalajara, no México, foram enviadas 20 confederações. Canadá, Chile, Colômbia, México e Estados Unidos foram os países com mais representantes, sendo 13 atletas para cada um.

No quadro geral de medalhas, os EUA lideraram com um total de 10 medalhas (5 de ouro, 3 de prata e 2 de bronze), o Canadá ficou em segundo com 3 medalhas (1 de ouro e 2 de prata), o mesmo número do Brasil, que ficou em terceiro (1 de prata e 2 de bronze). A Colômbia e o México vieram logo depois empatados com apenas uma medalha (1 de bronze para cada).

Ian Millar, do Canadá, tem 68 anos e nove medalhas do pan-americano, incluindo duas de ouro, que conquistou em nove participações em jogos, mais do que qualquer outro atleta de sua categoria. O canadense busca aumentar seu recorde nesta edição do evento.

Fonte:  Vavel

  • Compartilhe
  • <