Por Fora
das Pistas

Notícias

Foto: Faby Mattos/Divulgação

13 de julho de 2017

Leilões de Cavalos Crioulos da Trajano Silva crescem 79% no semestre

O primeiro semestre de 2017 foi de resultados positivos na comercialização de Cavalos Crioulos. Ao menos é o que indicam os números de janeiro a junho da Trajano Silva Remates. Em 21 leilões realizados no período, o faturamento foi de R$ 23,84 milhões na venda de 820 animais, alta de 79,15% em relação ao mesmo período do ano passado, com R$ 13,3 milhões em 20 remates realizados pelo escritório com 752 exemplares comercializados.

As médias também tiveram elevação. Enquanto no primeiro semestre de 2016 elas foram de R$ 17,69 mil, em 2017 foram de R$ 29,07 mil, crescimento de 64,29%. Conforme o leiloeiro e diretor da Trajano Silva Remates, Marcelo Silva, um dos fatores determinantes para este aquecimento de mercado foi a valorização de animais de genética comprovada nas pistas da raça Crioula. “O primeiro semestre foi marcado pela diferença de preço dos animais de ponta de outros animais, no qual se aumentou a distância. A qualidade fez toda a diferença”, observa.

Outro fator destacado por Silva foi o aumento de compradores do centro do país, baseado especialmente pelo trabalho de expansão realizado pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), que vem fomentando a raça no Brasil Central. “Houve uma capilaridade que se estabeleceu com outros Estados brasileiros. Tivemos diversos compradores de locais como Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, entre outros”, explica.

Para o segundo semestre, o diretor da Trajano Silva Remates analisa que as médias ainda deverão subir, principalmente pela percepção de melhora na economia do país, salientada por especialistas, que vem se descolando da turbulência política, fato que deve aumentar a confiança dos investidores. “Estamos acreditando neste segundo semestre que teremos uma leve variação positiva no aumento dos preços. Os preços médios serão maiores nesta segunda metade do ano”, complementa.

Fonte: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.