Por Fora
das Pistas

Hall da Fama

Katty King com Wilexo no GP Spring 3 em 2013; Foto: @Mancini Photo

9 de junho de 2015

Katty King, amazona brasileira que vive no exterior, conversa com o PFDP!

Nome completo : Katty King

Idade: 33

Local nascimento: São Paulo

Signo: Gêmeos

Time do coração: Brasil – torço pelo Brasil somente em copas independente do time, todos tem uma característica e todos são interessantes.

Hobby: Viajar para diferentes países e diferentes culturas.

Música: November Rain;

Livro: A ultima grande lição’ Mich Albin’

Comida preferida: Churrasco e comida chinesa.

Frase:  Não deixe para amanha o que você pode fazer hoje;


 

 PFDP: Quais foram os principais títulos e as principais vitórias na sua carreira até hoje? Algum, em especial, foi mais importante para você?

No Brasil –

Campeã Paulista de Amazonas , vice brasileira e terceiro de amazonas, 5º brasileiro young rider, campeã troféu eficiência de melhor amazonas, melhor cavalo, melhor young rider e melhor proprietário master;

Europa –
5º no GP 3* em Vilamoura 2013
3º no GP 3* Vilamoura 2014
Participar da Copa das Nações em Wellington 2015.

Mais importante foi: Ganhar o GP de CSI 2* Mechelen em dezembro de 2014 com Wilexo foi sem duvida muito emocionante!

PFDP: Onde vive atualmente?
Vivo na Bélgica na cidade de Lommel.

PFDP: Como é sua rotina de treinamentos?
Diariamente começo com academia, pratico aeróbico ( bike ou corrida) e musculação, e depois vamos ao nosso centro de treinamento KKRIBAS EQUESTRIAN, e montamos todos os cavalos, geralmente temos uma media de 10 cavalos, monto 4 a 5 cavalos.

PFDP: Conta com quais cavalos para as principais competições?
Conto com Ude e Wilexo para as provas grandes e 2 jovens de 6 anos que estão começando na carreira esportiva.

PFDP:  Como está sua programação para o segundo semestre de 2015?
Participarei de alguns concursos na Europa como – CSI 2* Seoul -korea, CSI 2* Saint Tropez – FR, CSI 4* Hicksyead – England, CSI 2* Valkenswaard, CSI 3* Vilamoura Portugal, CSI Mechelen e alguns mais q normalmente confirmamos a participação em 6 semanas antes do evento.

PFDP: De todos os eventos já participados existe um preferido? Justifique!
Bom, de todos os eventos , o preferido envolve o seu desempenho do ano anterior, o tipo de cavalo,  e isso o deixa mais interessante, posso dizer que adoro o de Portugal – CSI Atlantic Tour de Vilamoura (em setembro) – é um evento de 5 semanas em um mesmo lugar com temperatura , pista e premiação  boa para os cavalos e cavaleiros.

Outro evento que adoro é sem duvida o WEF –  Winter Equestrian Festival, em Wellington nos USA, que inicia em janeiro e vai ate abril (12 semanas).

PFDP: Poderia citar um cavalo inesquecível para sua carreira?
Uma égua chamada La Petite Lara.

PFDP: Quais são suas metas a curto/longo prazo?
Metas é conseguir mais cavalos para o alto nível do esporte, no momento conto com dois de provas grandes, de 1,50m, mas não o suficiente para estar competindo em todas as provas que o esporte e os concursos tem exigido ao longo do ano.

PFDP: Cite alguns cavaleiros e ou amazonas que você admira no esporte.
Rodrigo Pessoa, Doda Miranda, Pedro Venis, Cassio Riveti, Beezie Maden, Marcus Ehning, Daniel Deusser, Eric Lamaze, Nick Skelton, Laura Kraut, Ben Maher, Jerum Dubbeldam, Gerco Shroder , Penelope Leprevot.

PFDP: Se pudesse escolher qualquer cavalo, qual seria o ideal para seu perfil?
Itot Du Chateau de Edwina Alexander – potente,  rápido, competitivo.

PFDP: Como sabemos, vive fora do Brasil faz algum tempo, o que te vez morar no exterior?
Me fez sair do Brasil pela ideia que o hipismo deveria ser maior na Europa, e sem duvida é muito mais do que imaginamos.

Quando estamos no Brasil,  sair desta cápsula  é um passo muito grande e complicado,  mas quando voce consegue, tem a ideia de libertação.

PFDP: Tem alguma intenção de voltar ao Brasil?
No mínimo vou 3 vezes ao ano ao Brasil. Adoro o meu país e sempre estou voltando. Vivo aqui na Europa e não penso em mudar minha residência para o Brasil, mas quero sempre estar visitando, tenho meus amigos, minha família e ate cavalos no Brasil.

PFDP: Qual a principal diferença das provas no Brasil e no exterior?
As pessoas são mais organizadas e educadas no exterior em relação ao respeito mutuo entre os cavaleiros, proprietários, patrocinadores e criadores, são mais claros em resolver problemas do cotidiano.

PFDP: E quanto aos percursos, acredita haver muita diferença no nível técnico? Comente
Sim, existe bastante diferença no nível técnico, mas também o nível de cavalos é muito maior do que  no Brasil.

Não podemos menosprezar o nível técnico de criadores e cavalos comprados no Brasil, porque são bons e respeitáveis. Existe muitos cavaleiros brasileiros extremamente competitivos e talentosos. Mas, a quantidade e qualidade de concursos, (competições , cavalos) é muito maior aqui.

  • Compartilhe
  • <