Por Fora
das Pistas

Hall da Fama

15 de janeiro de 2015

Joao Victor Lima, o jovem cavaleiro do Brasil,

Joao Victor Lima, o jovem cavaleiro do Brasil, é entrevistado pelo site Equnews. Conheça um pouco da sua rotina na Europa e os seus sonhos

O Brasil, tem um time oficial comprovado com Rodrigo Pessoa, Doda Miranda, Pedro Veniss ou Marlon Modolo Zanotelli. Mas logo provavelmente será adicionado a esta lista o nome de João Victor Lima.

Com apenas 17 anos de idade, o jovem cavaleiro já tem um bom histórico a seu crédito com vitórias em provas 2 e 3*.  O site Equnews conversou com o brasileiro. Confira!

Como você começou a praticar o esporte?

Eu iniciei fazendo um outro esporte no Brasil, com cavalos, que não é conhecido na Europa, mas era muito perigoso e eu era muito jovem. Então, meus pais decidiram me levar para o hipismo clássico. Eu não montei pônei; no Brasil não é algo comum.  Montei direto em cavalos.

Você está vivendo na Bélgica, quando você veio para a Europa?

Cheguei faz dois anos nas baias do Ludo Philippaerts e depois fui para Nelson Pessoa para treinar com ele. Eu amo a Europa, a Bélgica é um país onde a pessoa se sente muito mais segura em relação ao Brasil. Eu moro com minha avó e minhas duas irmãs, meus pais não vieram. Mas muitas vezes eles vêm para nos ver.

Para quem você trabalha, quem é seu orientador?

Nelson Pessoa é o meu mentor, eu posso ficar um dia inteiro assistindo os vídeos dele no youtube. É incrível. Podemos aprender muito como ele. É muito bom tê-lo como treinador.

Quais são suas principais metas para este ano?

Este ano eu gostaria de comprar outro cavalo que me permita fazer o GP 3*. Eu tenho apenas 17 anos, então em 2014 eu não podia pular 1m45.

Qual seria o seu sonho como cavaleiro?

Gostaria de fazer parte do melhor, ser um cavaleiro qualificado, e ir para os Jogos Olímpicos ou Campeonatos do Mundo.

Você pode nos contar sobre seus cavalos?

Tenho uma égua preta, Wamira, com ela eu tive um ano incrível. E eu tenho um outro chamado Quarlelie de Louvet para entrar em provas de velocidade. É uma grande égua. Qual é o ponto em sua jovem carreira que o impressionou mais até agora?

Minha vitória no Grand Prix em Beervelde 2* na Bélgica com a Wamira. Foi a primeira vez que ganhei um GP por isso foi incrível para mim.

Como você consegue manter o esporte e a educação?

Antes eu ia para uma escola escandinava na Bélgica, mas foi muito complicado, então agora eu faço aulas virtuais na escola nos EUA. Então, eu tenho mais tempo para fazer o que eu amo.

É difícil fazer as duas coisas ao mesmo tempo, porque se você vai para a escola só pode montar um cavalo na volta, no máximo dois. Além disso, quando eu estava na escola eu não poderia ser acompanhado por Neco todos os dias porque ele vai para os estábulos, das 9h às 15h. Não era prático.

Finalmente, se você foi pudesse montar um outro cavalo de alto nível, qual seria?

Eu amo o cavalo do marroquino Abdelkebir Ouaddar, Quickly de Kreisker. Ele parece ter um caráter especial e salta incrivelmente bem. Ele realmente é o estilo de cavalo que eu gosto

  • Compartilhe
  • <