Por Fora
das Pistas

Hall da Fama

Ivan e Santiago de Blondel quando tinha 7 anos no CSIO de Lisboa

12 de junho de 2015

Ivan Torres Galvão de Camargo no Hall da Fama do PFDP!

Nome completo:  Ivan Torres Galvão de Camargo
Idade: 50 anos
Local nascimento: Curitiba   Paraná
Signo: Escorpião
Time do coração: São Paulo
Hobby: Como o meu Hobby virou a minha profissão , o tempo que teria para um Hobby prefiro estar com a minha família .
Música: MPB
Livro: Várias Biografias …. André Agassi , Arnold Schwarzenegger ,  Guga , Ayrton Senna …
Comida preferida: Carne seca com abóbora
Frase: Quanto mais duro você trabalhar, mais sorte terá!


PFDP: Quais foram os principais títulos e as principais vitórias na sua carreira até hoje? Algum, em especial, foi mais importante para você?
Na juventude fui Tri-Campeão Paranaense de Junior . Como Sênior Vice-Campeão Paulista e 3 vezes Vice-Campeão Brasileiro  e outras duas terceiro . Vice-Campeão Sulamericano  de Sênior por Equipe no Chile , Campeão da Liga Sulamericana e participei de uma Final de Copa do Mundo em 1994 na Holanda .

Venci mais de 20 GP’s  e o que mais me marcou foi o primeiro INDOOR WC que foi realizado na Hípica Paulista  em 1993 que venci com meu pequeno cavalo Dollar . Outro inesquecível momento foi meu  ultimo GP vencido no Brasil, no CSI do Rio de Janeiro em 2002 com o cavalo As de Copa .

Participações em  algumas Copas da Nações pelo Brasil e também por Portugal , pois passei a defender as cores desse Pais em 2011 .

Algumas vitórias em provas de potência , ultrapassando o muro a 2.25 em 1991 na Áustria e diversas vitórias em provas de velocidade .

PFDP: Onde vive atualmente?
Em Cascais – Portugal .

PFDP: Como é sua rotina de treinamentos?
Monto pelas manhãs e dou aulas a tarde . Mas ultimamente tenho viajado muito ministrando  clínicas na Colômbia, Equador, Brasil , EUA ….

PFDP: Conta com quais cavalos para as principais competições?
Hoje estou em uma fase que tenho somente cavalos jovens  entre 5 e 6 anos ainda em formação e somente uma de 8 anos . Portanto não estou em alta competição no momento .

PFDP:  Como está sua programação para o segundo semestre de 2015?
Tenho várias clínicas agendadas, treinamentos à equipes na America do Sul e alguns concursos para formação do meu time de cavalos novos. Há clínicas já marcadas  no Brasil , Florida , Equador , Colômbia e México .

PFDP: De todos os eventos já participados existe um preferido? Justifique!
Acho que os mais emocionantes são os concursos Indoor pela proximidade do público … como o Indoor da Hípica Paulista que me trás excelentes recordações onde venci em 1993 e fui segundo em 2001 . E tive a oportunidade de saltar O Gucci Masters em Paris e o Audi Másters em Bruxellas além da Final da Copa do Mundo na Holanda em 1994 , Mas , quando trabalhei com o Nelson Pessoa no princípio dos anos 90 tive a oportunidade de participar dos melhores concursos do mundo como La Baule e Hamburgo .

PFDP: Poderia citar um cavalo inesquecível para sua carreira?
Tive a sorte de montar cavalos importantes na minha carreira como MC Tambo Nuevo , MC Donatello  , Testarudo , Mezadou  … mas acredito que o que mais somou para minha carreira foi o Dollar , um cavalo difícil de condução , pequeno , apenas 1.57 , mas muito poderoso e valente . Me levou a grandes vitórias e também ajudou bastante na evolução de minha equitação , pois competi com ele durante 5 anos .

PFDP: Quais são suas metas a curto/longo prazo?
Preparar meus cavalos Jovens e treinar cavaleiros em minhas clínicas , algo que me dá um grande prazer .

PFDP: Cite alguns cavaleiros e ou amazonas que você admira no esporte.
Nelson e Rodrigo Pessoa , Yan Millar e da nova geração Ben Maher e Scott Brash .

PFDP: Se pudesse escolher qualquer cavalo, qual seria o ideal para seu perfil?
Gosto de cavalos leves e com sangue , potentes e sensíveis . Adoraria ter montado o Hickstead.

PFDP: Como sabemos, vive fora do Brasil faz algum tempo, o que te vez morar no exterior?
O principal que pensei quando saí do Brasil foi a qualidade de vida e segurança para a minha família e acredito que consegui dar isso a eles .

PFDP: Tem alguma intenção de voltar ao Brasil?
Realmente desde que saí , nunca me passou pela cabeça voltar . Gosto do meu Pais , mas infelizmente já nao temos qualidade de vida e nem segurança !

PFDP: Qual a principal diferença das provas no Brasil e no exterior?
O Brasil evoluiu muito e continua evoluindo , já estivemos uns 150 anos atrás da Europa , hoje acredito que estamos no caminho certo mas ainda há muito que evoluir e corrigir.

O nível de competitividade , dificuldade dos percursos com mais altura e largura principalmente , tempo mais apertado, são diferentes na Europa. E a quantidade de conjuntos de alto nível o que faz as disputas ficarem a cada dia mais difíceis e emocionantes . Pra finalizar, a criação européia que fornece um quantidade enorme de cavalos de boa qualidade e preço mais acessível .

PFDP: E quanto aos percursos, acredita haver muita diferença no nível técnico? Comente
Há considerável diferença no nível técnico dos percursos, poucas vezes ao ano temos no Brasil provas realmente a 1.50/1.55 onde os conjuntos tem a possibilidade de se por a prova em um nível mais elevado.

Temos cavaleiros extremamente talentosos que, se tivessem a oportunidade de competir num nível técnico mais elevado durante as competições no Brasil, estariam melhor preparados para enfrentar a enorme competitividade dos concursos Europeus.

  • Compartilhe
  • <