Por Fora
das Pistas

Notícias

Mangalarga Marchador; foto: reprodução internet

15 de setembro de 2018

Importante criador brasileiro de Cavalo Mangalarga Marchador doa óvulos e sêmens de animais premiados

Os criadores do cavalo Mangalarga Marchador nutrem um sentimento singular por seus animais. A ancestralidade dos cavalos é fator essencial para conferir qualidade, valor de mercado e importantes características de morfologia e de marcha (os principais elementos de valorização do equino).

O cruzamento de garanhões e éguas de linhagem superior pode gerar potros com superiores atributos de marcha e morfologia, motivos de grande orgulho dos criadores que investem em genética, ancestralidade e manejo. Os valores de mercado de embriões dos animais premiados podem ultrapassar R$100 mil.

Magdi Shaat, conquistou o título de melhor criador do cavalo Mangalarga Marchador do Brasil em 2015, 2016 e 2017, um verdadeiro apaixonado pela raça, doa para pequenos criadores sêmens e óvulos dos seus animais premiados com único objetivo: o melhoramento genético da raça.

Magdi entende que quanto melhor a qualidade do cavalo Mangalarga Marchador, raça genuinamente brasileira, maior será a valorização de toda a cadeia produtiva: criadores, peões, investidores e até mesmo na área de tratamentos alternativos de saúde. “À medida que aumentarmos a qualidade das criações brasileiras, valorizaremos o mercado interno e até as exportações”, analisa Magdi.

Como funcionam as doações

Magdi Shaat empresta o cavalo para o núcleo de criadores, que fica responsável pelo transporte, alimentação e todos os cuidados com o animal. O núcleo verifica quais criadores locais tem interesse nas coberturas e rateia os custos fixos de manutenção do animal entre os interessados, propiciando acesso aos pequenos criadores.

O criador Wilson di Biasi, do núcleo de Atibaia/SP, recebeu o garanhão Sony El Far – cavalo campeão nacional de propriedade de Magdi – para estação de monta em seu haras. Sony El Far possui pais também campeões e enxertou 52 éguas de vários criadores da região.

“Sony El Far é o tipo de animal que todo mundo quer, mas nem todos têm condições de mantê-lo ou comprar coberturas (sêmens) caras. Essa iniciativa, de abrir a genética para os pequenos criadores deveria incentivar outros grandes criadores que, inclusive, possuem animal sobrando em seus haras. Sony El Far terá muitos descendentes no estado de São Paulo”, enaltece.

Caso os criadores da região de Atibaia tivessem que investir neste sêmen, a quantia total de coberturas poderia chegar a R$300 mil. “Já existem pedidos para o Magdi ceder outro animal na próxima estação de monta”, revela Wilson.

Janete Campos, criadora da região de Barbacena/MG, enaltece a iniciativa de disponibilizar animais de alta genética para melhoramento da raça. “Na nossa região foram utilizadas mais de 40 coberturas do Rápido El Far. Sem a iniciativa, a maioria dos criadores não teria acesso a essa genética”, analisa.

João Marcos, criador de Cruzília/MG, afirma que a sessão do garanhão Desejo do Comboio, gerou entre 50 e 60 coberturas somente na sua região. “Essa doação é a melhor coisa que existe para o pequeno criador. Vários outros núcleos já foram beneficiados como Campo das Vertentes, Bandeirantes, no Sul de Minas e na região de Lavras”, enfatiza João Marcos.

Fonte: Terra

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.