Por Fora
das Pistas

Notícias

Espaço no Centro Olímpico de Hipismo chama atenção pela higiene e pelo cuidado minucioso com cavalos. Provas de hipismo serão realizadas entre 6 e 19 deste mês

7 de agosto de 2016

Hotel cinco estrelas: Vila Olímpica dos cavalos dá tratamento vip aos animais

Logo na entrada, um aviso: “desinfecte as mãos e os pés”. Para isso, um tapete especial para a limpeza da sola dos sapatos e um aparelho que distribui álcool gel estão colocados em frente ao portão de acesso. Para entrar ali, só passando por esse procedimento. Caso contrário, não é permitida a entrada na “Vila Olímpica dos cavalos”, localizada no Centro Olímpico de Hipismo, em Deodoro.

O rigor na entrada deixa claro o quão bem são tratados os cavalos que disputarão as provas de hipismo na Olimpíada do Rio de Janeiro. A limpeza do local é algo que chama atenção. Para evitar que os cavalos tenham infecções ou qualquer outro tipo de problema, todos os estábulos onde ficam os animais são higienizados constantemente por uma equipe responsável. Andando pelas ruas da vila, que são todas de areia fofa para o conforto dos cavalos, não se encontra sujeiras e não se sente odores.

São ao todo 270 cavalos hospedados no local. Assim como na Vila Olímpica dos atletas, eles ficam divididos por países. Cada prédio é destinado para uma delegação, mas há proximidade entre os prédios. Ficam frente a frente. Segundo os responsáveis pelo local, isso é para prezar pelo espírito olímpico. Muitos estábulos foram escolhidos pelas próprias delegações, que analisaram, por exemplo, a incidência de vento e de sol para fazer a escolha. Os boxes são individuais, com o nome do cavalo em frente.

A Vila Olímpica dos cavalos é movimentada, mas não é somente dos animais e de seus responsáveis. Profissionais andam pra lá e pra cá carregando os pertences dos equinos e a alimentação de cada um. Como esses materiais são pesados, são utilizadas máquinas para carregá-los. Cada delegação cuida do balanceamento da alimentação dos cavalos.

O bem-estar do cavalo é zelado pelas delegações e pelos responsáveis do local porque, além de ser vivo, o animal é fundamental para a competição de hipismo e para o desempenho do cavaleiro. Quanto maior for o entrosamento entre o cavaleiro e o animal, maior a chance de ter sucesso nas provas.

Rotina

Assim como os atletas, os cavalos têm uma rotina regrada antes de competições importantes, como a Olimpíada. Os tratadores e veterinários, por exemplo, moram com os animais no Centro Olímpico de Hipismo, ao contrário dos cavaleiros, que ficam na Vila dos Atletas. Tudo isso é para não deixar as montarias sem cuidado durante um minuto sequer. A alimentação também é regrada e varia.

– Antes de as provas começarem, nós damos três tratos (refeições): às 6h, às 12h e às 18h. Varia, mais ou menos, de sete a oito quilos de ração. Alguns ainda comem algo antes, tipo um feno que vem a vácuo. Cada cavalo come um tipo de ração e toma suplementos, que variam também. Os cavalos que são muito bravos não podem tomar muito suplemento que dá energia, por exemplo – explica o Dudu, veterinário da equipe brasileira no hipismo CCE.
cavalos hipismo Rio 2016 (Foto: Danilo Sardinha)
Provas de hipismo serão realizadas entre os dias 6 e 19 deste mês (Foto: Danilo Sardinha)

As provas de hipismo começam a ser disputadas no próximo dia 6 e vão até o dia 19 (exceto nos dias 13 e 18). São três modalidades no hipismo: CCE, adestramento e saltos. As competições serão no Centro Olímpico de Hipismo, em Deodoro

Fonte: Globo Esporte – Por Bruno Giufrida e Danilo Sardinha – Rio de Janeiro

  • Compartilhe
  • <