Por Fora
das Pistas

Notícias

William Fox-Pitt festeja medalha em Londres, na última Olimpíada (Foto: Reuters / Regis Duvignau)

6 de agosto de 2016

Fox-Pitt usa hipismo para vencer lesão e volta à Olimpíada como exemplo

William Fox-Pitt é um dos principais nomes do hipismo CCE em todo o mundo. Aos 47 anos, ele faz parte da equipe britânica que disputará a Olimpíada no Rio de Janeiro. Quem acompanha a história dele no esporte, porém, pode deixar passar conquistas importantes fora das competições: na vida.

O cavaleiro quase perdeu os Jogos do Rio de Janeiro por causa de um acidente sofrido no ano passado, durante um torneio. Ele caiu do cavalo e quase perdeu o movimento das pernas. Mas se engana quem pensa que o hipismo foi um inimigo de Fox-Pitt. Foi justamente o esporte que fez o britânico dar a volta por cima.

Quando deixou o hospital, Fox-Pitt ainda estava longe de sua forma física ideal e foi liberado pelos médicos apenas para montar – não podia realizar nenhuma outra atividade que exigisse de seu corpo. A relação do atleta com o hipismo ficou ainda mais estreita, mas ela já havia começado há muitos anos.

Natural de Hampstead, no Reino Unido, Fox-Pitt começou a montar aos quatro anos e praticar o CCE (Concurso Completo de Equitação) aos 15, graças ao incentivo de seus familiares, que também eram amantes do hipismo. Mostrou que seria mundialmente conhecido quando quebrou o recorde de medalhas de ouro no Burghley Horse Trial, tradicional competição europeia, com seis conquistas.

A partir de então, William Fox-Pitt se consolidou no esporte: tem seis medalhas em mundiais de hipismo (uma de ouro, três de prata e duas de bronze) e três em Olimpíadas (duas de prata, em Athenas e Londres, e uma de bronze, em Pequim). Os resultados significantes fizeram ele ser o primeiro britânico a chegar ao topo do ranking mundial do CCE.

Hoje, aos 42 anos, ele ainda é visto como uma potência que pode ajudar a equipe do Reino Unido a conquistar uma medalha no Rio de Janeiro. Apesar disso, a maior vitória para Fox-Pitt é estar em uma Olimpíada novamente. Será mais uma vez no hipismo que o britânico viverá momentos marcantes a partir deste sábado, quando começam as provas em Deodoro.

A equipe brasileira

Com Mark Todd como adversário e técnico, o Brasil estreia no hipismo CCE na Olimpíada no dia 6 e segue na disputa até dia 9. As provas são disputadas nesta ordem: dois dias de adestramento, um de cross country e o último de salto. Marcio Appel (37 anos), Carlos Paro (37 anos), Marcio Carvalho Jorge (41 anos) e Ruy Fonseca (43 anos), além do reserva Nilson Moreira (40 anos), formam a equipe brasileira nos Jogos

Fonte: Globo Esporte

  • Compartilhe
  • <