Por Fora
das Pistas

Notícias

(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)

23 de junho de 2019

Febre maculosa: Prefeitura de Contagem começa a aplicar carrapaticidas em cavalos

A prefeitura de Contagem começou com o trabalho de aplicação de carrapaticida em cerca de 100 cavalos que trabalham na Região do Bairro Carajás, em Contagem, na Grande BH. A ação visa o controle do carrapato estrela, vetor da febre maculosa que já vitimou quatro pessoas no município, tem um caso confirmado hospitalizado e cerca de 40 pacientes sob investigação.

Os carrapatos chegam por meio de capivaras que têm ligação com a bacia da Pampulha, em BH, e são transportados por esses animais até os cavalos de carroceiros, ganhando, assim, acesso a outras áreas de Contagem onde os animais transportam entulho de construções, reformas e podas, de acordo com a administração municipal.

Segundo o diretor de vigilância ambiental e controle de zoonoses de Contagem, José Renato de Rezende Costa, todos os criadores de equinos da região podem ir até os ecopontos do município para o controle das pragas. “Os banhos carrapaticidas podem ocorrer de 15 em 15 dias, matando completamente os carrapatos instalados nos animais. Os proprietários não são obrigados a esses procedimentos, mas são responsáveis pela saúde o dos animais”, afirma o diretor.

Aplicação do produto

No Ecoponto do Bairro Carajás, além dos cavalos que transitam trazendo entulhos, há vários animais que por lá circulam em busca de pastos e da água de um dos córregos afluentes da bacia da Pampulha, apesar do esgoto lançado no manancial.

Os animais que chegam no local recebem o banho de produtos carrapaticidas aplicado por funcionários do setor de zoonoses da prefeitura. Os agentes de saúde fazem as aplicações por meio de bombas costais. Não é um processo fácil, uma vez que os equinos se sentem acuados, empinando e escoiceiam durante o procedimento.
Casos em Minas

Subiu para seis o número de mortes em Minas Gerais em decorrência da febre maculosa. A Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG) incluiu, na manhã desta segunda-feira, mais um óbito da doença, que aconteceu em Contagem. As outras duas mortes aconteceram em Faria Lemos e Raul Soares, na Zona da Mata. Neste ano, a pasta confirmou nove casos da moléstia.

Fonte: EM

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.