Por Fora
das Pistas

Notícias

Patrick Isidoro chegou a participar de corridas oficiais. Crédito da foto: Arquivo Pessoal

6 de julho de 2019

Família de jóquei que caiu de cavalo arrecada dinheiro para pagar hospital

A família de um jóquei de 18 anos, que sofreu um acidente e caiu do cavalo, está fazendo uma campanha nas mídias sociais para arrecadar dinheiro para pagar despesas médicas e hospitalares. O jovem Patrick Francisco Isidoro saiu de Sorocaba com destino à Bolívia, em outubro de 2018, para realizar o sonho de praticar o turfe, mas a queda fez com que ele deixasse as corridas.

Com a ajuda de um tio residente em Santa Cruz de La Sierra, o rapaz deixou o Brasil para buscar uma oportunidade na cidade boliviana, informado que o proprietário de um haras buscava jóqueis.

“Nós temos um tio que mora e trabalha aqui que tinha um amigo que estava precisando de gente para correr. Aí abriu essa oportunidade e ele veio tentar”, contou a irmã do rapaz, Marilena da Luz Isidoro Cunha. “Ele queria muito tentar realizar o sonho dele. Ele adora cavalo.”

Patrick teria caído do cavalo em maio, durante os treinos, quando passou a sentir fortes dores de cabeça, segundo Marilena. Com o passar dos dias, os sintomas foram se agravando e Patrick teve uma infecção no olho direito, que logo se espalhou para outras partes do corpo, como garganta e pulmões, além de acabar perdendo a fala. O acidente fez com que ele perdesse os movimentos do lado direito do corpo.

O jovem foi internado em um hospital particular, realizou diversos exames e uma tomografia revelou um coágulo e secreção no cérebro. Ao saber do estado de Patrick, Marilena e a mãe dele, Salete Aparecida da Luz Isidoro, saíram de Sorocaba e foram à Bolívia para cuidar do rapaz. Os médicos declararam que o quadro de Patrick era grave e, por isso, ele precisava passar por uma cirurgia com urgência.

Os dois procedimentos cirúrgicos na cabeça ficaram em cerca de 7 mil dólares, arcados pela família, amigos e pelo contrante do jóquei. O influenciador digital Carlinhos Maia chegou a ajudar a família com uma doação. Porém, Patrick ainda segue internado, sob observação, e a família precisa de mais 8 mil dólares para quitar as despesas com a clínica onde o rapaz segue internado. “Agora ele está consciente, mas ficou quarto dias em coma induzido”, disse Marilena.

Hipismo no sangue

O amor pelo hipismo do jovem veio de família: a mãe e as irmãs trabalham como cavalaristas, ou seja, são cuidadoras de cavalos, e o tio atua como treinador. De acordo com Marilena, Patrick chegou a trabalhar no Jóquei Clube de Sorocaba também como cavalarista, mas o sonho era ser jóquei.”Ele chegou a participar de corridas oficiais. Estava ansioso porque ia montar em uma corrida em junho.”

Doações

As doações podem ser feitas diretamente na conta bancária da irmã de Patrick, da Caixa Econômica Federal, agência 2870, operação 013, conta 00018621 dígito 8, CPF 478.783.368-57, nome: Marilena da Luz Isidoro Cunha. O telefone para mais informações é +591 68964759. (Aline Albuquerque)

Fonte: Jornal cruzeiro

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.