Por Fora
das Pistas

Notícias

Maria Clara Machado começou a fazer aulas de equitação após vencer a resistência dos pais - Alexandre Cassiano

30 de julho de 2016

Escola de equitação é opção a gasto com cavalo

Em setembro passado, a pequena Maria Clara Machado, de 8 anos, realizou o sonho que acalentava havia dois anos: começou a ter aulas de equitação, após vencer a resistência dos pais.

— Foi interesse dela. Ninguém da família havia feito equitação antes. De início, achamos que seria interesse passageiro e que seria difícil arcar com o custo. Como ela persistiu, fez uma aula experimental e iniciou as aulas — explica a química Mariana Machado, mãe de Maria Clara.

A fama de esporte de elite, conta Mariana, fez a família acreditar, de início, que a Hípica do Rio nem aceitasse não sócios na escola de equitação.

— A equitação é uma modalidade de elite principalmente lá na frente, quando o aluno toma o caminho da profissionalização. Mas fora disso, a estrutura é toda oferecida pelo clube — conta Gustavo Freitas, instrutor da Escola de Equitação da Hípica.

A mensalidade, porém, de R$ 660 por mês para não sócios por duas aulas por semana, além da matrícula e avaliação médica a R$ 490, já fica acima da cobrada nas escolinhas de esportes coletivos.

As aulas de equitação começam a partir de 7 anos de idade, mas é também uma modalidade aberta a pessoas de quase todas as idades. Há uma opção com pôneis para a turminha miúda a partir de 2. Para criança ou adulto, o suprimento inicial de quem quer aprender a fazer hipismo se limita a culote (calça), colete de segurança, capacete, chicote e botas, enumera Freitas.

Cavalo custa ao menos R$ 20 mil

Os alunos avançam e se classificam em rankings da modalidade. Os que começam a saltar obstáculos com mais de um metro de altura chegam ao divisor de águas da prática equitação.

— A partir desse patamar, e se leva em média dois a três anos até chegar lá, é preciso adquirir um cavalo. É uma questão de escolha — diz o instrutor.

Comprar o cavalo é uma guinada financeira na carreira do cavaleiro. Quem entra na aula focado em chegar lá deve se programar para o desembolso superior a R$ 20 mil, segundo Freitas:

— Ao comprar o cavalo, o dono arca com toda a despesa com o animal. Na Hípica, sai a pouco mais de R$ 5.000 ao mês.

Quanto melhor o cavaleiro, maior o gasto ou a força de um bom patrocinador. Segundo Samy Dana, um cavalo com nível para participar de provas internacionais custa R$ 3 milhões. (G.C.)

Fonte: O Globo/por Glauce Cavalcanti

  • Compartilhe
  • <