Por Fora
das Pistas

Notícias

25 de dezembro de 2017

Entenda sobre a Cólica Equina

A cólica equina, ou em linguagem popular, dor de barriga nos equinos, é uma das enfermidades mais frequentemente encontradas nesse animal doméstico.

O equino é um animal monogástrico e herbívoro por natureza, ou seja, seu aparelho digestivo está preparado para digerir fibras (capim e forragens ricas em fibras). Com a domesticação do cavalo venho o homem e introduziu os alimentos ricos em carboidratos (ração) na dieta desse animal para que ele tivesse uma alimentação mais calórica para participar de competições que exigem um gasto energético maior, exemplo: rodeios, salto, corridas…

É importante notar que o cavalo, diferentemente do bovino é impossibilitado anatomicamente de eructar (arrotar), ou seja, o gás tende a se acumular no trato digestivo. Outra característica importante no trato digestivo dessa espécie é que seu estômago tem pequena capacidade de acúmulo de alimento.

Esses dois fatores podem predispor ao acúmulo de gases e fermentação excessiva podendo levar a distensões do intestino e consequentemente dor. Assim sendo, é essencial que a ração seja fornecida com boa qualidade, é claro mas também fracionada em menores quantidades para que não ocorra uma sobrecarga ao estômago.

Nessa hora a higienização do cocho de alimentação também se faz de suma importância para a saúde do animal. Outra questão é consultar o médico veterinário especialista em equinos quando o animal apresentar sinais típicos de desconforto abdominal, sendo eles: ficar inquieto, olhar para o flanco, cavar o solo e até suar nos casos de dor mais severa para que ele identifique o tipo de cólica e institua o tratamento adequado. O proprietário deve ter muito cuidado com o uso indiscriminado de analgésicos e outros medicamentos que podem trazer ainda mais complicações ao animal.

Os animais entabulados tem uma tendência maior de sofrer distúrbios digestivos, ou seja, é sempre bom instituir um programa de exercícios neste caso, lembrando que nunca devemos sobrecarregar o animal, já que o equino é uma espécie domestica que dá cem por cento de si sem respeitar o seu limite físico.

Quanto ao tratamento das cólicas, aproximadamente 85 % delas são resolvidas com tratamento médico veterinário sem necessidade de cirurgia e inclui: passagem de sonda naso-gástrica para retirada de gases, o uso de analgésicos e aplicação de soro nos casos onde há desidratação.

Fonte: radiocapinzal.

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.