Por Fora
das Pistas

Notícias

Campeonato movimentou R$ 4 milhões e gerou 310 empregos diretos - Malú Cáceres / ABQM

9 de agosto de 2018

Criação de cavalos Quarto de Milha coloca MS em 4º lugar no ranking nacionalEstado contabiliza 31 mil animais registrados e 1,2 mil criadores

A criação de cavalos da raça Quarto de Milha é uma das apostas lucrativas para produtores interessados em investir nos animais com perfil para participar de competições esportivas. De acordo com informações da Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM), Mato Grosso do Sul possui um plantel de 31 mil animais registrado no Cartório de Certificados de Registros Genealógicos (Stud Book).

Os números colocam o Estado na quarta posição do ranking nacional de criadores, além de sediar uma média de 150 eventos anuais, no segmento de esportes. Entre as mais populares estão a modalidade de Laço Comprido que atraem competidores, equipe técnica e turistas, contribuindo para movimentação do comércio local. Atualmente, estão cadastrados 4,3 mil proprietários, 2 mil criadores e 1,2 mil associados à ABQM.

Entre os dias 5 e 8 de agosto, foram realizadas em Campo Grande, as provas classificatórias do 13º Potro do Futuro e o Campeonato Nacional de Laço Comprido da ABQM, com mais de 400 conjuntos de participantes (competidor e cavalo). A entrada para assistir as competições foi gratuita e o evento aconteceu no Circuito do Laço Comprido (CLC) de Campo Grande, localizado na saída para Rochedinho.

Na avaliação do presidente da associação em Mato Grosso do Sul, Igor Goudard Viana, os eventos da ABQM são importantes vitrines para produtores apresentarem seus exemplares, enquanto criadores. “Com o crescimento de proprietários, criadores e associados no Mato Grosso do Sul, deixamos de ser compradores de genética do Quarto de Milha e passamos a ser fornecedores de destacados exemplares para outras regiões do país”, observa.

POTENCIAL ECONÔMICO

O levantamento divulgado pela ABQM aponta que os haras em atividade no país somam 1 milhão de hectares, avaliados em mais de R$ 20 bilhões, nos quais são consumidas anualmente 918 mil toneladas de ração. A mão-de-obra empregada diretamente reúne cerca de 310 mil funcionários diretos (média de três colaboradores por propriedade), incluindo ainda veterinários, agrônomos, zootecnistas, ferradores, centros de treinamento, centros de reprodução, leiloeiros, entre outros profissionais.

No mesmo período, a raça movimentou em leilões por todo o país em torno de R$ 1 bilhão com a comercialização de aproximadamente 27 mil animais, pela média geral de R$ 37 mil. Anualmente nos eventos oficiais e apoiados pela ABQM são entregues milhares de fivelas aos campeões e troféus aos três primeiros colocados, além de proporcionarem premiações que passam da casa dos R$ 4 milhões.

CARACTERÍSTICAS

A raça Quarto de Milha é considerada dócil e com rápida adaptação para treinamento, por isso o interesse nos animais no esporte equestre. Com orientação dos adestradores, o cavalo consegue realizar partidas rápidas, paradas bruscas, grande capacidade de mudar de direção e enorme habilidade de girar sobre si mesmo.

É adaptável a diferentes climas e regiões transformando-se em instrumento de força, transporte e difícil de ser derrotado em provas eqüestres, além de melhorador de plantel. Considerada uma das raças mais versáteis do mundo, é usado nas modalidades de conformação, trabalho e corrida

Desde sua origem, a raça Quarto de Milha tornou-se ao longo dos anos um ponto de referência mundial entre todas as espécies equinas, fruto de suas inúmeras qualidades genéticas, como a marcante estrutura morfológica, velocidade, docilidade e, principalmente, por sua versatilidade em executar funções atléticas nas mais variadas modalidades.

Viana, destacou que nos quatro dias de evento foram movimentados mais de R$ 4 milhões com geração de 310 empregos diretos e 1.500 indiretos. O público total foi de 15 mil pessoas e recordes em inscrições e participação.

“Ao todo foram oferecidas 10 categorias, 200 animais da raça Quarto de Milha e 1.500 cabeças de bovino. Atualmente, Mato Grosso do Sul é referência nacional na categoria Laço Comprido e no ofertamento de linhagens de cavalos utilizados para trabalho, reforçando o desenvolvimento do segmento no cenário nacional”, conclui o presidente.

Fonte: Correio do estado

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.