Por Fora
das Pistas

Notícias

13 de dezembro de 2015

Credenciadoras ao Freio de Ouro projetam ciclo acirrado em 2016

Para criadores, expositores e ginetes, o ciclo de 2016 do Freio de Ouro já começou. Só neste ano já foram realizadas 21 credenciadoras que vem movimentando a comunidade crioulista em diversos estados brasileiros e na Argentina e no Uruguai. Mais uma vez o ritmo forte comprova que a competição será acirrada e vai garantir fortes emoções em suas classificatórias e na grande final, que sempre ocorre no primeiro fim de semana da Expointer, em Esteio (RS).

Para o vice-presidente de Eventos da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), Luís Rodolfo Machado, novamente os competidores estão mostrando preparo e qualidade nas provas já realizadas, o que vem sendo a tônica do cavalo Crioulo nos últimos anos, demonstrando evolução no trabalho de seleção da raça, no qual o Freio de Ouro é um dos pilares.

“O nível continua muito bom como no ano passado. Tivemos credenciadoras com alto padrão. Estamos observando uma manutenção do nível”, observa.

O roteiro das classificatórias já foi definido pela associação. No próximo ano serão dez classificatórias, duas a menos das que vinham acontecendo até o ciclo anterior. Serão realizadas oito etapas no Brasil em quatro estados diferentes (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo), além do Distrito Federal, mais as provas na Argentina e Uruguai. No total, as seletivas serão responsáveis por classificar 48 machos e 48 fêmeas para a grande decisão.

Outra novidade é a alteração de regulamento para o ciclo. A partir de agora há a determinação de que os equinos que forem retirados de quaisquer provas oficiais, ou por simples desistência, mediante atestado médico veterinário, ficarão 30 dias, a contar da data do atestado, sem participar de disputas oficiais da raça. A medida está alinhada com as práticas de bem estar animal. O regulamento pode ser conferido no site da ABCCC  (www.abccc.com.br).

Fonte: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective- Foto: Felipe Ulbrich/ABCCC/Divulgação

  • Compartilhe
  • <