Por Fora
das Pistas

Notícias

21 de março de 2020

Coronavírus: “Não há necessidade de decisões drásticas” em Tóquio, diz Comitê Olímpico Internacional

O Comitê Olímpico Internacional (COI) afirmou na última (17 de março) que “não há necessidade de decisões drásticas nesta fase” com relação à execução dos Jogos Olímpicos em Tóquio (24 de julho a 9 de agosto) devido a pandemia mundial do coronavírus.

O COI consultou as federações olímpicas internacionais de esportes de verão e, nos próximos dias, continuará as consultas com mais interessados.

“O COI continuará atuando como uma organização responsável”, afirmou o comunicado do COI. “Nesse contexto, o COI solicita a todos os seus interessados ​​em suas próprias atribuições que façam de tudo para contribuir para a contenção do vírus.

“Esta é uma situação sem precedentes para o mundo inteiro, e nossos pensamentos estão com todos os afetados por esta crise. Estamos em solidariedade com toda a sociedade para fazer tudo para conter o vírus.

“A situação em torno do vírus COVID-19 também está afetando os preparativos para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e está mudando dia a dia.

“O COI permanece totalmente comprometido com os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e, com mais de quatro meses antes dos Jogos, não há necessidade de decisões drásticas nesta fase; e qualquer especulação neste momento seria contraproducente. ”

O COI concordou com dois princípios fundamentais sobre a realização dos Jogos: proteger a saúde de todos os envolvidos e apoiar a contenção do vírus, além de proteger os interesses dos atletas e do esporte olímpico.

Em meados de fevereiro, foi criada uma força-tarefa – composta pelo COI, a Organização Mundial de Saúde, o comitê organizador de Tóquio 2020, as autoridades japonesas e o governo metropolitano de Tóquio – para garantir ações coordenadas de todas as partes interessadas e avaliar constantemente a situação para formar a base para o planejamento operacional em andamento e as adaptações necessárias.

“O COI continuará a seguir as orientações desta força-tarefa”, afirmou o comunicado. “A decisão do COI não será determinada por interesses financeiros, porque, graças às suas políticas e seguros de gerenciamento de riscos, será capaz de continuar suas operações e cumprir sua missão de organizar os Jogos Olímpicos.”

Já foram feitas alterações em alguns eventos de teste, no Revezamento da Tocha e nas visitas e reuniões em torno da preparação dos Jogos.

O COI incentiva todos os atletas a continuarem se preparando para as Olimpíadas da melhor maneira possível, mas reconhece que existem desafios em torno da obtenção de qualificações finais em alguns esportes e que alguns atletas estão achando difícil treinar.

“Até o momento, 57% dos atletas já estão qualificados para os Jogos. Para os 43% restantes, o COI trabalhará com as federações internacionais para fazer as adaptações necessárias e práticas em seus respectivos sistemas de qualificação para Tóquio 2020 ”, disse a declaração, que detalhou os princípios a serem seguidos pelas mudanças. .

No esporte a cavalo, as nações já garantiram sua equipe e vagas individuais nas Olimpíadas, mas muitos atletas individuais ainda precisam obter suas qualificações pessoais para poderem competir nos Jogos. A suspensão do esporte a cavalo em todo o mundo pode tornar isso difícil dentro do prazo original prescrito.

Quaisquer revisões necessárias dos sistemas de qualificação de Tóquio 2020 por esporte serão publicadas no início de abril.

 

Fonte: horseandhound

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.