Por Fora
das Pistas

Notícias

Henrique Maranhão é o destaque da nova geração pernambucana / Divulgação

18 de dezembro de 2016

Com tradição no hipismo, Pernambuco é celeiro de novos talentos

Celeiro de grandes talentos nacionalmente reconhecidos, Pernambuco encara um bom momento no hipismo. Isso porque, em 2016, seis cavaleiros ganharam notoriedade e prometem ampliar o legado local na próxima temporada. Só este ano, a nova geração foi responsável por cinco títulos nos âmbitos nacional e continental. De acordo com o técnico André Felipe Ferreira, os jovens fazem parte da escola pernambucana, que sempre foi forte e revela excelentes representantes para a modalidade brasileira.

“Nosso Estado tem um hipismo de muita expressão. Para se ter uma ideia, temos cerca de 60% dos concorrentes dos concursos de salto nacionais realizados no Nordeste. Em relação aos resultados, a estatística é ainda melhor. Temos quantidade e qualidade”, comentou o treinador, que lembrou dos cavaleiros veteranos Fábio Genes, Marcelo Veiga e André Miranda.

Já a nova geração que conquistou bons resultados em 2016 (ver quadro ao lado) é composta por Henrique Maranhão, João Felipe Gomes, João Marcelo Santos, João Pedro Chaves, na categoria pré-mirim, Gabriela Duque, que defende a categoria Amador A e Paulo Miranda, representante da Júnior. Com 16 anos, Paulo já é considerado uma referência no cenário nacional. Não à toa, ele apresenta em seu currículo os títulos brasileiros pré-júnior, em 2015, e mini-mirim, em 2010. Este ano, ele sagrou-se vice-campeão sul-americano por equipes.

REVELAÇÃO

Quem segue seus passos no hipismo é o jovem Henrique Maranhão, de 12 anos. Ele integrou a equipe brasileira no Campeonato Sul-Americano deste ano e ajudou o time na conquista do segundo lugar. Na disputa individual, ele subiu no lugar mais alto do pódio. Além de Henrique, seus companheiros de categoria pré-mirim vão passar a defender a modalidade mirim em 2017.

A expectativa da Federação Equestre de Pernambucano (FEP) é vencer o Brasileiro e conseguir classificar pelo menos dois representantes do hipismo local para o Campeonato Sul-Americano. “A gente espera que pelo menos dois cavaleiros sejam convocados para integrar uma equipe de quatro. Temos pela frente quatro seletivas mais o Nacional para conseguir a convocação”, concluiu o técnico confiante.

Fonte: JC Online

  • Compartilhe
  • <