Por Fora
das Pistas

Notícias

Foto: TV TEM/Reprodução

31 de dezembro de 2018

Cavalos pintados e de muita beleza

Jamir Alves de Oliveira diz que faz 75 anos que anda a cavalo. Os animais são a paixão desse criador de mangalarga paulista pampa. A criação começou na década de 1980 e foi crescendo nos últimos anos. São cerca de 80 animais no haras, que fica em Sorocaba (SP).

Cerca de 15 potros nascem no haras por ano. A maioria é de pelagem preta, a preferida de Jamir. Ele diz que o mercado valoriza a combinação do preto com branco.

Animais assim logo ganham novos donos. Por ano, o criador vende de 10 a 12 cavalos. Os clientes são de todo o Brasil e até de outros países. Mas um cavalo malhado nem sempre teve boa aceitação.

Jamir conta que o cavalo pampa era discriminado no começo. Os criadores até davam para o filho do empregado ou para um vizinho.

Os tempos mudaram para o pampa, que vem conquistando fãs pelo mundo. Javyer, de 8 anos, é um dos garanhões do haras com a responsabilidade de passar as características do pampa adiante. Ele já foi campeão nacional do mangalarga paulista.

E a beleza não é a única qualidade desses cavalos. São animais bons de andamento e bastante procurados para cavalgadas e desfiles.

No Brasil, cerca de 35 mil animais com pelagem malhada estão registrados na Associação dos Criadores de Cavalo Pampa. Por outro lado, só de mangalarga marchador são 600 mil. A quantidade de criadores associados também mostra uma grande diferença. São 800 de pampas e 16,4 mil de mangalarga marchador.

O plantel de Oscar Fonseca Vieira Filho começou a ser formado 21 anos atrás e só tinha mangalarga marchador, mas ele conta que foi conquistado pela beleza do pampa e que há nove anos mudou o perfil da criação, voltado para essa pelagem diferenciada e exclusiva.

Fonte: Nosso Campo, TV TEM

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.