Por Fora
das Pistas

Notícias

Créditos: Reprodução/Change

5 de outubro de 2017

Cavalos e éguas são mortos pela indústria da carne

As indústrias em larga escala, como a agropecuária, não podem mais se esconder. Empresas que lucram com a exploração de animais para o entretenimento têm começado a falir devido à pressão do público.

A mudança tem ocorrido, porém, existem indústrias que continuam funcionando e que muitas pessoas desconhecem, como é o caso da matança de cavalos para o consumo humano.

Os cavalos são rotineiramente mortos por suas carnes no Canadá e no México. Cerca de 100 mil deles têm um destino trágico anualmente, independentemente da idade, raça ou condição.

Uma das características mais sombrias dessa indústria é a exportação de cavalos vivos de Calgary, Alberta (Canadá) para o Japão. Trata-se de um segredo que permaneceu escondido por anos.

A indústria da carne de cavalos é composta por muitas partes. Não existem matadouros de cavalo legalizados nos Estados Unidos e os animais destinados à morte são enviados para matadouros no Canadá ou no México.

Muitas vezes, eles viajam distâncias muito longas em caminhões de transporte superlotados sem nenhum alimento ou a água. Há uma crença equivocada de que apenas os cavalos idosos, mancos ou doentes irão para o matadouro. Ao contrário, isso está longe da realidade.

Cavalos jovens, saudáveis e até mesmo éguas grávidas podem ser mortos para a carne assim como aqueles explorados pela indústria de corridas. Mesmo o companheiro amado de uma criança pode ser deixado em uma casa de leilões, comprado por alguém que irá matá-lo e colocá-lo em um caminhão de transporte. A maneira como tratamos essas magníficas criaturas é bárbara.

Confira o final desta história e outras notícias inspiradoras sobre animais na ANDA (Agência de Notícias de Direitos Animais).

Fonte:  ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais e Rede Catraca Livre

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.