Por Fora
das Pistas

Notícias

9 de janeiro de 2019

Cavalo saudável, cavalo doente: conheça as características

O cavalo plenamente saudável é um animal que está sempre alerta, ativo, correndo e caminhando boa parte do dia, e alimentando-se com tranquilidade e naturalidade.

“O cavalo saudável não possui vícios ou taras e alimenta-se de pequenas quantidades, várias vezes ao dia. Normalmente, deita-se pouco e dorme cerca de duas horas por noite, com sonos que duram em média 15 minutos.

Este é o hábito que herdou na sua preservação contra seus predadores”, afirma Dr. Haroldo Vargas Leal Júnior, professor do Curso a Distância CPT Enquanto o Veterinário Não Chega – Atendimento a Equinos, em Livro+DVD e Curso Online.

Por outro lado, cavalos que não estão em sua condição perfeita de saúde apresentam alguns sinais de acordo com a situação na qual se encontra. Exemplos:

I- Alterações que indicam dor, desconfortos abdominais, cólicas e, ou estado febril
– animais inquietos, andando em círculos, balançando insistentemente a cabeça ou olhando para o flanco.
– animais deitando-se e levantando-se várias vezes.
– animal deitando e rolando no chão.
– animal raspando o chão e com sudorese (suor).
– animal apático, triste, cabisbaixo, não querendo comer.
– aumento na respiração, pelos arrepiados, procurando ingerir muita água, ou tendendo a ficar dentro d’água quando possível.
– coluna arqueada e tentativa de micção (urinar) frequente e sem sucesso.
– tentativas de defecar sem sucesso com contração do abdome e cauda levantada.
– dilatação ou aumento de volume na região do flanco (popularmente conhecido como vazio) e expulsão excessiva de gases.

II- Alterações que indicam problemas no sistema locomotor
– alterações no andamento com manqueira facilmente visível, abaixando ou levantando a cabeça ao se deslocar.
– recusa na realização de exercícios de rotina.
– desequilíbrios ou alterações no andamento ao subir ou descer morros.
– recusa em realizar curvas fechadas.
– desconforto ao ser selado ou logo após ser montado.
– aumento de volumes nos membros.
– lesões ou alterações nos cascos.
– postura anormal do corpo quando parado, mantendo os membros muito esticados ou evitando apoiar em um ou mais membros.
– animal que fica deitado grande parte do dia.

III- Alterações que indicam problemas no trato digestivo
– animal rangendo os dentes, principalmente ao ver ou sentir cheiro da ração próximo e fora do seu alcance.
– salivação excessiva.
– animal estranhando muito uma embocadura.
– acúmulo de alimentos nos cantos da boca/bochecha.
– animal que deixa alimento cair da boca em grande quantidade quando está alimentando.
– fezes extremamente secas e às vezes com uma película em sua volta.
– fezes muito liquefeitas.
– fezes com pedaços de alimentos inteiros ou mal triturados.
– presença de manchas de sangue nas fezes.
– presença de parasita nas fezes.
– coceira excessiva no anus com a cauda arrepiada.
– distúrbios alimentares tentando ingerir alimentos incomuns aos equinos.

IV- Alterações de ordem psíquica podendo estar associadas ou não a sintomas de dor, fome ou desconforto
As alterações de comportamento animal são variadas. Geralmente são de ordem psíquica e intimamente ligadas às condições de vida que o animal tem, podendo estar associadas ou não a sintomas de dor, fome ou desconforto. As mais comuns são:
– animal mordendo cercas, portas de cocheiras ou similares.
– animal engolindo ar.
– movimentos de pêndulo, balançando-se o corpo para um lado e outro, sem se locomover.
– hábitos de escoicear as paredes de cocheiras.
– avança para morder ou dar coices em pessoas estranhas.
– ingerir ração ou outros alimentos com grande rapidez.
– rapa o chão da cocheira ou bate em sua porta várias vezes ao dia.
– range os dentes.
– comprime a cabeça ou garupa contra a parede ou cerca.
– ingere areia ou outros que não sejam alimentos saudáveis.
– musculatura extremamente tensa e o animal se assusta facilmente.
– animais se recusam a viver em grupo.

V- Alterações físicas
– escaras.
– cortes.
– pelos ressecados ou brilhantes.
– sangramentos.
– mucosas irritadas.
– edemas ou inchaços.
– volumes e assimetrias ósseas ou musculares.
– salivação excessiva.
– tosse.
– paralisias musculares.
– ataxias nervosas.

Outras características importantes a serem observadas

– odores.
– aumento de temperatura corporal.
– aspecto e volume das secreções.
– edemas localizados com consistência e temperatura variáveis.
– frequência no aparecimento de edemas.
– regiões ou pontos dolorosos.
– perda de libido.
– cio.

Fonte: Artigos Cursos CPT

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.