Por Fora
das Pistas

Notícias

Foto: Imagens/ Tv Bahia

2 de dezembro de 2015

Cavalo que morreu eletrocutado na Bahia estava avaliado em R$ 200 mil

O cavalo que morreu eletrocutado em uma das baias da Feira Internacional de Agropecuária (Fenagro), no último domingo (29), em Salvador, estava avaliado em R$ 200 mil. O animal era reprodutor, mangalarga marchador e tinha 14 anos. Além disso, ele era campeão de vários concursos nacionais. O cavalo pertencia ao “Haras Caraíbas”.

Forró do Cardeal, como era chamado, chegou no Parque de Exposições de Salvador, no ultimo de fim de semana vindo da cidade de Ipirá, município que fica a cerca de 200 km da capital baiana. Ao menos outros 60 animais estavam na mesma ala que o cavalo que morreu, mas nenhum outro foi atingido.

De acordo com os funcionários que estavam de plantão no domingo à noite, o cavalo estava dentro da quarta baia, quando teve contato com uma fiação elétrica exposta. O animal tocou e morreu assim que recebeu o choque.

Os donos do animal lamentaram a morte do cavalo nas redes sociais e criticaram as condições do parque.

“Estou vivendo um dos piores momentos da nossa criação! Nosso ‘Forró do Cardeal’ [como é conhecido o animal] acaba de morrer ELETROCUTADO!!!!!! ACREDITEM!!! Absurdo!!! ELETROCUTADO NA BAIA DA FENAGRO 2015!!!! Uma feira que se diz uma das maiores do Brasil!!!! Sem nenhuma estrutura pra receber nossos animais e com Gambiarras que matam nossos cavalos e poderiam matar nossos peões ou proprietários!!!! ABSURDO!!!”, diz o post.

Já a direção da Fenagro reconheceu que a instalação elétrica na ala onde o cavalo estava tinha problemas. “O choque não é normal, realmente foi um caso que não pode acontecer. Já conversamos com eles [donos do haras], coisas de indenização, do valor do animal”, disse Almir Lins, diretor da Associação de Criadores de Caprinos e Ovinos da Bahia (Accoba).

A direção da feira garantiu que toda a fiação elétrica está sendo revista. As licenças de funcionamento já tinham sido pedidas e que não há risco para os outros animais, nem para as pessoas que devem ir ao parque até o próximo domingo.

Com relação as licenças de funcionamento, a direção da feira garante que já tinha dado entrada na documentação e aguardava respostas dos órgãos municipais de vigilância e licenciamento.

Fonte: G1

 

  • Compartilhe
  • <