Por Fora
das Pistas

Notícias

Parque de Exposições Jonas Pinheiro em Cuiabá está interditado para o trânsito de equinos

26 de outubro de 2017

Cavalo com doença pode ser sacrificado e parque é interditado para equinos

Um cavalo do Parque de Exposições Senador Jonas Pinheiro foi diagnosticado com anemia infecciosa equina e, por causa disso, o espaço foi interditado para o trânsito de equinos nesta segunda (23). De acordo com a apuração do , o animal é do Policiamento Montado da Polícia Militar e passará por um outro exame para confirmar a existência da doença.

Responsável pela administração do parque, o Sindicato Rural de Cuiabá está tomando providências e confirma que o local já está interditado para entrada e saída de equinos. O levantamento de quantos cavalos estão na área está sendo realizado e todos deverão passar por exame para avaliação de contaminação.

“Estamos cuidando de toda a segurança sanitária prevista em lei, mas infelizmente, um animal foi diagnosticado com a doença nos exames periódicos. Vamos aguardar o resultado do reteste, mas por precaução, o animal está isolado”, diz o presidente do sindicato, Jorge Pires.

A notificação foi realizada pelo Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea). O órgão que realizou o primeiro exame no animal, informa que em um primeiro momento está isolado dos outros cavalos aguardando os próximos procedimentos médicos.

A médica veterinária Daniela Schettino, do Indea, explicou ao que o novo exame será realizado porque o cavalo identificado está fazendo um tratamento com corticóide, uma substância que pode induzir a um “falso positivo”, que é quando um exame detecta erroneamente a presença de determinado agente nocivo no organismo.

Se o animal for realmente identificado com a anema infecciosa equina, ele terá que ser sacrificado. “A anemia não tem cura. Às vezes o animal até está com boa condição corporal, mas mesmo que não se faça nada ele virá ao óbito porque as condições vão piorando aos poucos. Além disso, existe o risco de contaminação por sangue aos outros equinos”, explica Daniela.

Ela pontua que a infecção pode acontecer, por exemplo, através de vetores como mosquitos, que picam o cavalo infectado e depois vão se alimentar de outros animais. O resultado do reteste deve ficar pronto ainda nessa semana.

Fonte: RD News

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.