Por Fora
das Pistas

Acontece

Nicole Pavitt, uma das amazonas britânicas com mais vitórias na edição de 2016

4 de abril de 2016

Cavaleiros britânicos dominaram edição 2016 do Vilamoura. Destaque no circuito para o brasileiro Stephan Barcha

Os cavaleiros britânicos dominaram a edição de 2016 do Vilamoura Atlantic Tour que chegou ao fim este domingo, ao conquistarem 66 vitórias nas 160 provas disputadas durante as seis semanas de evento (41 por cento). Seguiram-se os franceses, com 31 vitórias (19 por cento) e, em terceiro lugar, os portugueses, com 18 cavaleiros vencedores (11 por cento).

O quarto país com mais vitórias foi a Alemanha, com oito primeiros lugares no pódio, o Brasil com sete e, ex-equo, Marrocos e Bélgica, com seis provas ganhas cada.

O acontecimento deste ano contou com mil cavalos participantes e 300 cavaleiros de 27 países, insistindo em constituir a mais extensa prova congênere que se realiza no continente europeu e uma das maiores do mundo.

O diretor-geral do evento, António Moura, sublinha que o aumento do número de participantes contribui de forma decisiva para que ele seja “um êxito em todos os aspectos” e realça também a adesão do público do Algarve e de Vilamoura em particular, que este ano “aumentou quase para o dobro face ao ano anterior”, com mais de 15 mil espectadores nas seis semanas de competições.

“É um evento com futuro, tal como o golfe foi há 20 anos. Os cavalos são um produto turístico por excelência e podemo-nos aproximar dos números do golfe”, sustenta o diretor-geral do Vilamoura Atlantic Tour.

Em preparação está o próximo evento a realizar no Clube Hípico de Vilamoura em setembro e outubro, o Vilamoura Champions Tour, que já conta com bastantes reservas de cavaleiros nacionais e internacionais e deverá ter uma adesão superior à edição de 2015, de acordo com as expectativas de António Moura.

Este domingo foi disputado o sexto e último Grande Prémio do Vilamoura Atlantic Tour, ganho pelo dinamarquês Martin Dinesen Neegard às rédeas de Woulon L, que completou os oito obstáculos (e nove esforços) do trajeto do desempate, desenhado por Bernardo Costa Cabral, em 47,31 segundos.

Em segundo lugar ficou o irlandês Anthony Condon, com Ariston, com o tempo de 48,18 segundos e a terceira posição foi para Celine Schoonbroodt de Azevedo, montando Bardine, que completou o percurso em 49,45 segundos.

Participaram do desempate desta prova, com os obstáculos colocados a 1,50 metros, 9 dos 33 cavaleiros inscritos à partida.

No final da competição foi atribuído o prêmio Sela Sabino ao brasileiro Stephan de Freitas Barcha, pelo seu desempenho nos seis Grandes Prêmios, dois dos quais venceu. Nesse domingo o brasileiro chegou em sétimo lugar, montando Landpeter do Feroleto, com zero no percurso inicial, e uma falta no desempate, na marca de 46s57.

O concurso internacional Vilamoura Atlantic Tour 2016 tem como principais patrocinadores o Turismo de Portugal/Algarve, Câmara Municipal de Loulé, Caixa de Crédito Agrícola, Vilamoura World, Microprocessador (sistemas digitais) e Pine Cliffs.

O Atlantic Tour decorre no Clube Hípico de Vilamoura, uma instalação de referência integrada no Masterplan de Vilamoura World, sob o tema Vilamoura Active. O plano de desenvolvimento do resort, atualmente em prática, pressupõe, entre outras coisas, um investimento nas infraestruturas, atividades e eventos que reforce a posição de Vilamoura enquanto destino de referência na Europa.

Fonte: Mar de Histórias

  • Compartilhe
  • <